Pular para o conteúdo
Início » TCE imputa débito de R$ 636,5 mil a gestores e entidades baianas

TCE imputa débito de R$ 636,5 mil a gestores e entidades baianas

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Foram aplicadas nove multas devido à irregularidades apontadas pelas equipes de auditores

O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) decidiu imputar o pagamento de R$ 636.576,26 a gestores e instituições devido às irregularidades apontadas pelas equipes de auditores, durante a execução de ajustes firmados pela administração estadual com entidades e instituições (recursos que deverão ser ressarcidos ao erário estadual após atualização monetária e aplicação de juros de mora).

Também foram aplicadas nove multas, equivalente ao número de gestores, que somadas atingiram o total de R$ 15.648,00.

“Foram concluídos os julgamentos de 24 processos, sendo 17 decididos durante as sessões do plenário e das duas câmaras de julgamento e outros sete apreciados de forma monocrática. Das decisões monocráticas, quatro foram referentes a solicitações de pensão, dois a aposentadorias, e um de novação”, relatou o TCE em nota.

Plenário

Com apenas uma sessão realizada na última terça-feira (9), o plenário concluiu, o julgamento de dois processos, sendo um referente a denúncia, com pedido cautelar, formulada pela Cesarino Construtora – Leandro Mascarenhas Cesarino EPP, contra a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), com decisão pelo conhecimento e provimento parcial, expedindo-se recomendações à Conder, e pela juntada dos autos à prestação de contas da unidade relativa ao exercício de 2023; o segundo processo foi um recurso de apelação, tendo como recorrente Joelson Silva das Virgens, ex-prefeito do Município de Saubara, e recorrida a Resolução 46/2023, da Segunda Câmara do TCE/BA (decisão final pelo conhecimento e improvimento).

 

Leia também:

Bruno Reis diz que Salvador está na “contramão da crise” do transporte público

Como votaram os ministros do STF no julgamento para ampliar alcance do foro privilegiado

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)