Pular para o conteúdo
Início » Hotelaria de Salvador fecha o mês de fevereiro com taxa de ocupação de 61,27%

Hotelaria de Salvador fecha o mês de fevereiro com taxa de ocupação de 61,27%

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Dados do primeiro trimestre de 2024 indicam que a taxa de ocupação segue no processo de retomada dos patamares pré-pandemia

A rede hoteleira de Salvador registrou durante o mês de março uma ocupação média de 61,27%, superior à média obtida no mesmo período de 2023, que foi de 58,33%. As taxas de ocupação registradas em Salvador vêm evoluindo de forma constante após a pandemia no comparativo anual, e a taxa de março de 2024 foi a maior para o mês nos últimos quatro anos, mas ainda abaixo do valor de 2019. Isso demonstra o crescimento contínuo do fluxo turístico em Salvador, que segue no processo de retomada dos patamares pré-pandemia. 

A diária média registrada em março foi de R$ 603,26, sendo 22% superior ao valor de R$ 492,59 obtido no ano passado, e maior valor da série histórica desde o início da pesquisa conjuntural de desempenho da hotelaria, realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Seção Bahia – ABIH-BA. Como resultado dos índices de ocupação e diária média, março registrou um RevPAR de R$ 369,64, que é o indicador que mede a capacidade de geração de receita por quarto disponível da rede hoteleira soteropolitana. 

Os sólidos resultados de março foram construídos pelo bom início da temporada de eventos e turismo corporativo em Salvador. Durante os dias comerciais de segunda a sexta-feira a cidade registrou média de 62,65% de ocupação, superior à taxa de 58,38% nos finais de semana ao longo do mês. O feriado prolongado da Semana Santa, no final do mês, foi também um dos fatores positivos, período em que a hotelaria registrou taxa de ocupação de cerca de 67% e diária média superior a R$ 700,00. 

No primeiro trimestre de 2024 a cidade teve uma ocupação de 66,05%, diária média de R$ 745,52 e RevPAR de R$ 492,42, números consideravelmente superiores aos registrados no mesmo período de 2023, especialmente pela valorização de 21% da diária média, que é o indicador que mais tem crescido ao longo dos últimos dois anos, fato que se repetiu neste trimestre. 

O presidente da ABIH-BA, Wilson Spagnol, destaca a importância das ações comerciais de promoção e divulgação do destino, e de captação de eventos para a cidade ao longo dos próximos meses.

“Salvador encerrou o primeiro trimestre com números robustos e grande crescimento em todos os indicadores em relação ao ano passado, mas enfrentaremos agora o trimestre mais desafiador do ano para o turismo. Por isso, é o momento de intensificarmos as ações comerciais de divulgação e promoção do destino, em parceria com a gestão pública. Também será fundamental a prospecção e captação de novos eventos, já que o fluxo turístico na baixa temporada depende bastante do turismo corporativo e de eventos”, pontua Wilson.

É importante ressaltar que os números do desempenho hoteleiro de Salvador aqui divulgados são frutos da Pesquisa Conjuntural de Desempenho (Taxinfo), realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), seções Bahia e Brasil. O levantamento é digital e os dados são fornecidos diariamente pelos hotéis ao Portal Cesta Competitiva. A média resultante constitui o indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem na capital baiana.

 

Leia também:

Hotelaria de Salvador fecha o mês de fevereiro com taxa de ocupação de 64,93%

Com nova loja em Salvador, Ferreira Costa abre vagas para PCD

Receita recebe mais de 10 milhões de declarações do Imposto de Renda 2024

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)