Pular para o conteúdo
Início » Isaquias Queiroz vence Copa do Mundo da Canoagem Velocidade de Szeged

Isaquias Queiroz vence Copa do Mundo da Canoagem Velocidade de Szeged

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Brasileiro completou a final em 3min45s84, mais de um segundo à frente do francês Adrien Bart

Um dia após vencer a C1 500m (prova que não estará nos Jogos Olímpicos de Paris-2024), Isaquias Queiroz triunfou também na C1 1000m da Copa do Mundo da Canoagem Velocidade de Szeged, na Hungria, neste domingo.

O brasileiro completou a final em 3min45s84, mais de um segundo à frente do francês Adrien Bart, segundo colocado com 3min47s23. O atleta neutro Zakhar Petrov completou o pódio com 3min47s32. Matheus Nunes dos Santos, outro brasileiro na prova, ficou em sétimo lugar na semifinal com 4min03s52 e não avançou para a disputa de medalhas.

Campeão na Olimpíada de Tóquio-2020 no C1 1000m, Isaquias soube controlar seu ritmo para conquistar mais uma medalha de ouro na competição húngara. Nas classificatórias de sábado, ele venceu sua bateria e fez o sexto melhor tempo do dia. Depois, na semifinal, já conseguiu o melhor tempo de todas as baterias para garantir vaga na decisão.

Com mais um ouro, Isaquias Queiroz encerra sua participação na Copa do Mundo de Canoagem Velocidade de Szeged com 100% de aproveitamento. No sábado, ele venceu o C1 500m com o tempo de 1min45s88, baixando a marca em cinco segundos na comparação com as fases anteriores.

O brasileiro encarou dificuldades em sua preparação ao longo da última temporada. Mesmo assim, foi vice-campeão dos Jogos pan-americanos de Santiago-2023 e assegurou uma cota olímpica para o Brasil no Mundial de 2023. A Copa do Mundo foi preparação para a Olimpíada. Ele já havia dito que seria um teste para suas reais chances em Paris, uma espécie de “aquecimento”.

Na França, Isaquias Queiroz tem como objetivo se tornar o atleta brasileiro com mais pódios olímpicos. Dono de quatro medalhas (um ouro, duas pratas e um bronze), ele quer conquistar mais duas e superar as cinco dos velejadores Robert Scheidt (duas de ouro, duas de prata e uma de bronze) e Torben Grael (duas de ouro, uma de prata e duas de bronze).

 

Leia também:

Marta quer disputar Paris-2024, mas prevê aposentadoria da seleção brasileira

Olimpíadas 2024: Confira os atletas baianos que estão garantidos nos jogos de Paris

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)