Hamilton afirma que teve título da F-1 roubado em 2021 e fala sobre aposentadoria

Segundo o heptacampeão mundial, ele ainda sente a frustração quando vê algum vídeo da prova

Por Estadão Conteúdo
01/04/2024 às 16h31
  • Compartilhe
Foto: REUTERS/Hamad/ Mohammed
Foto: REUTERS/Hamad/ Mohammed

Lewis Hamilton falou com todas as letras que foi roubado no mundial de Fórmula 1 de 2021, cujo título ficou com Max Verstappen. O piloto britânico ainda pensa no GP de Abu Dabi, o último daquela temporada e fundamental para a definição do campeão. Na corrida, um erro da equipe de prova possibilitou que Verstappen ultrapassasse Hamilton na última volta. O futuro integrante da escuderia Ferrari, contudo, garante que "está em paz" com a situação.

Segundo o heptacampeão mundial, ele ainda sente a frustração quando vê algum vídeo da prova. Hamilton e o piloto da Red Bull estavam empatados em pontos e chegaram ao GP de Abu Dhabi na situação de "quem ficar na frente é campeão".

O piloto da Mercedes tinha vantagem de 14 segundos para Verstappen, mas um acidente obrigou a entrada do safety car na pista. Isso diminuiu a distância entre os dois. O holandês fez uma parada e trocou os pneus. O safety car foi retirado com uma volta de antecedência e, no último, sprint, Verstappen não teve dificuldade em ultrapassar Hamilton, que não trocou as rodas durante a entrada do carro de segurança.

"Se eu fui roubado? Obviamente. Digo, você sabe a história. Mas eu acho que o que é realmente bonito naquele momento, é o que tirei disso, foi que meu pai estava comigo. E nós passamos juntos por essa montanha-russa gigantesca da vida. E, no dia que mais senti dor, ele estava lá, e a forma como ele me criou foi sempre ficar em pé e com a cabeça erguida. Claro que fui parabenizar Max, e não percebi o impacto que isso teria, mas também estava muito consciente que havia um 'mini eu' assistindo àquilo. Isso é um momento decisivo da minha vida. Eu acho que realmente foi, eu senti. Eu não sabia como isso seria percebido. Eu não tinha visualizado. Mas eu estava definitivamente consciente: nos próximos 50 metros que eu ando é onde eu caio no chão e morro, ou me levanto", falou Hamilton à revista norte-americana GQ.

Na conversa, Hamilton definiu o começo de 2024 como o "momento mais emocionante da vida". Além de ser a última temporada na Mercedes, ele aguarda para a próxima, a primeira na Ferrari. "Nunca comecei um ano animado para o ano seguinte. As pessoas me perguntam o tempo todo: onde você se vê daqui a cinco anos? E nunca fui capaz de olhar tão longe. Mas agora estou em uma posição onde posso mapear um pouco mais à frente", revelou.

Os cinco primeiros anos de Hamilton na Fórmula 1 foram na McLaren. Depois, na Mercedes, ele se consolidou como um dos maiores da história da modalidade. A ida para a rival, em 2025, chocou a Fórmula 1. Os bastidores da transferência e a careira do piloto serão contados em um documentário produzido pela Apple TV.

Hamilton nega que a última temporada na Mercedes será protocolar "Meu foco é: como posso entregar o melhor ano que esta equipe já teve, depois de todos os ótimos anos que tivemos? É como você se envolve com as pessoas ao seu redor. Que receberam a notícia, alguns muito bem, outros nem tanto. Como você os leva nesta jornada e saem juntos em alta?", questionou.

O momento para isso seria uma história de recuperação, já que o piloto vem de uma seca de duas temporadas sem vitórias e com domínio de Max Verstappen e da Red Bull. Até o momento, com três GPs disputados, Hamilton não conseguiu projetar o desejo de sair por cima nas pistas. Ele terá mais uma chance no GP do Japão, no próximo domingo.

Leia também:

Grupo Globo nega que tenha pago fiança de Daniel Alves, condenado por agressão sexual