Exército de Israel anuncia fim das operações em hospital Al Shifa de Gaza

Israel anunciou a retirada de suas tropas do hospital depois que os soldados "cumpriram" sua missão

Por Redação
01/04/2024 às 13h21
  • Compartilhe
Foto: Reprodução / Mahmud Hams
Foto: Reprodução / Mahmud Hams

Os soldados de Israel se retiraram nesta segunda-feira (1º), do hospital Al Shifa de Gaza, após duas semanas de uma operação militar que deixou um rastro de destruição e cadáveres no maior centro médico do território palestino, devastado após quase seis meses de guerra.

Sem uma perspectiva concreta para uma trégua, os combates prosseguiram em Gaza, onde pelo menos 60 pessoas morreram durante a noite e madrugada, segundo o Ministério da Saúde do território, governado pelo movimento islamista palestino Hamas desde 2007.

Em meio à guerra com o Hamas, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, foi operado no domingo de uma hérnia. O gabinete informou que a cirurgia foi um "sucesso" e que o chefe de Governo, de 74 anos, "iniciou sua recuperação".

A polícia israelense anunciou nesta segunda-feira a detenção de Sabah Salam Haniyeh, irmã do líder do Hamas, Ismail Haniyeh, no âmbito de uma investigação antiterrorista. A mulher, de 57 anos, tem nacionalidade israelense e mora em Tel Sheva, no sul do país.

A operação militar israelense que começou em 18 de março no hospital Al Shifa, o maior de Gaza, provocou muitos danos. Israel anunciou a retirada de suas tropas do hospital depois que os soldados "cumpriram" sua missão, e durante as operações, o Exército afirmou que matou quase 200 combatentes.

 

Leia também:

Líder do grupo terrorista Jihad Islâmica promete vitória contra Israel em Gaza