Hidrate-se: Carnaval é tempo de autocuidado para os excessos não prejudicarem a saúde

Educador físico também ressalta a importância do uso de calçados adequados para a folia

Por Redação
09/02/2024 às 07h30
  • Compartilhe
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O Carnaval de Salvador é uma prova de resistência física, não só para artistas, mas também para os foliões. Dias e noites de intenso agito, pulando debaixo de um sol escaldante, horas de sono reduzidas, consumo exagerado de bebida alcoólica e descuidos com a alimentação podem tornar a festa um tanto indigesta. Por isso, é importante manter o autocuidado. 
 
"Como no Carnaval de Salvador os foliões acabam fazendo longas caminhadas e exercício físico com maior intensidade, é sempre bom atentar para os calçados confortáveis de acordo com o tipo da pisada (supinada, pronada e neutra) e também usar meias para proteção dos pés", aconselha o educador físico Heider Miranda. 
 
O ponto mais importante da preparação para o Carnaval é a hidratação, já que a festa acontece em um período de temperatura e sensação térmica elevadas. E quando falamos de hidratação, estamos lembrando da importância de consumir água, e não cerveja ou outras bebidas alcoólicas, como muitos fazem.
 
Além do sol escaldante, a atividade física - mesmo 'disfarçada' de dança e diversão - somada às longas caminhadas para chegar aos circuitos da folia ou pular de um bloquinho para outro, fazem o folião transpirar muito. "A água do corpo que está indo embora através do suor precisa de reposição", alerta Miranda. 
 
O educador físico baiano, que é um folião incondicional do cantor Bel Marques, conhece bem o prazer e desgaste de correr atrás do trio elétrico. "O percurso do Carnaval tem em média 4 km e dura, aproximadamente, 5 horas, exigindo do folião movimentos atípicos do seu dia a dia", lembra, recomendando aos foliões - que já têm uma rotina de atividade física - um alongamento ou uma corrida leve como uma forma de aquecimento, antes de encarrar o circuito. 
 
Já os sedentários correm maior risco. Na euforia de viver o momento e, muitas vezes, estimulados e 'anestesiados' pelo consumo exagerado de bebidas alcoólicas, eles podem acabar excedendo os limites do corpo. Lesões como distensão, torção no pé e unhas machucadas pelo calçado inadequado são algumas das queixas na Quarta-feira de Cinzas.
 
Problemas gastrointestinais provocados pela alimentação de rua podem também ser evitados. Para garantir a energia, os foliões não devem descuidar dos nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo. O ideal é optar por comidas leves para não atrapalhar a digestão e dar preferência a alimentos ricos em fibra para garantir maior saciedade ao longo do dia.
 
"Para quem quer se divertir sem descuidar do corpo e saúde, a orientação é manter o consumo dos alimentos que já são utilizados no dia a dia a dia. O Carnaval é delicioso, mas é possível curtir a festa sem maltratar o próprio corpo e descuidar da saúde", defende o educador físico. 
 
Depois de longas horas em pé, com disposição para longas caminhadas e muita dança, que tal encarar o Carnaval como um convite para o início de uma vida mais ativa e saudável? "Quem pratica atividade física está cuidando do corpo e da saúde mental. Além da prevenção de muitas doenças, você poupa dinheiro e ganha qualidade de vida e bem-estar o ano todo", garante Heider Miranda. 
 
 

Leia também: