Titular da Sesab se reunirá com 62 prefeitos para tratar sobre o combate à dengue

Encontro visa fortalecer a cooperação entre as autoridades e a gestão de saúde, buscando soluções conjuntas para conter a proliferação do Aedes aegypti

Por Redação
07/02/2024 às 19h43
  • Compartilhe
Foto: Secom/GOVBA
Foto: Secom/GOVBA

A titular da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), Roberta Santana, se reunirá nesta quinta-feira (8), às 9h, com 62 prefeitos para discutir estratégias eficazes no combate à Dengue na Bahia. Até 31 de janeiro de 2024, o estado registrou uma redução de 23,5% no número de casos em relação ao mesmo período de 2023, contudo diversos estados brasileiros estão em situação epidêmica. 

Conforme a pasta de saúde, o encontro tem o objetivo de fortalecer a cooperação entre as autoridades locais e a gestão de saúde, buscando soluções conjuntas para conter a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. 

A Sesab também defende que a colaboração entre municípios torna-se essencial para implementar medidas coordenadas e abrangentes, desde ações de prevenção até o reforço nos sistemas de monitoramento e tratamento.

Durante a reunião, a Secretária abordará temas como a mobilização da comunidade, a distribuição de materiais informativos e a intensificação das campanhas de conscientização.

Vacina?

O Governo Federal divulgou a lista de cidades que vão receber a vacina contra a dengue. Ao todo, foram incluídos 115 municípios baianos que devem receber as primeiras remessas do imunizante nos próximos dias, como explica a secretária Roberta Santana.

"Conduzido pelo presidente Lula e pela ministra Nísia, o Brasil é o primeiro país a fazer a aquisição dessa vacina. Hoje eu tenho uma reunião com o fórum de governadores e com a ministra para falar sobre a Dengue. O cenário da Bahia está um pouco melhor do que o restante do país em virtude das ações de eliminação dos criadouros realizadas desde novembro do ano passado, bem como das formas aladas do mosquito. A vacina vai chegar, mas precisamos ter a consciência de que será uma solução de médio a longo prazo. Atualmente 80% dos criadouros estão nas residências, o que significa que cada um tem que fazer a sua parte", alerta Santana. 

Inicialmente, o público-alvo será composto por crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, faixa etária que concentra o maior número de hospitalizações por dengue, após os idosos, grupo para o qual a vacina não foi liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Leia também:

Bahia tem queda em casos de dengue no primeiro mês do ano

Ivermectina não é eficaz contra dengue, alerta Ministério da Saúde

Vacina contra a dengue se torna prioridade do SUS devido a epidemia no Brasil