header1_bg
1__BANNER_728x90
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_CAPITAL_728x90___SAO_JOAO_2024
BANNER_728x90___BRT_LAPA
BANNER_728x90___E_LAURO__E_TRABALHO
1__BANNER_728x90
Pular para o conteúdo
Início » “Venda de maioria das áreas verdes para aliado político evidencia escárnio com interesse público”, diz Marta

“Venda de maioria das áreas verdes para aliado político evidencia escárnio com interesse público”, diz Marta

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Vereadora acusa prefeito Bruno Reis de beneficiar ex-deputado federal João Guaberto e agi contra meio-ambiente e interesses da população

A vereadora Marta Rodrigues (PT) criticou a venda de parte das áreas verdes de Salvador para o Hiperideal, de propriedade do ex-deputado João Gualberto (PSDB), apontado pela petista como aliado do prefeito Bruno Reis (União Brasil). Segundo a parlamentar, a venda da área evidencia o descompromisso da gestão municipal com o meio-ambiente e o favorecimento de grupos políticos, empresários e apoiadores.

A vereadora também afirmou que muitos dos terrenos estavam destinados a áreas de saúde, educação e creches, mas que tiveram outros fins. “A prefeitura faz da cidade o que bem quer, como se fosse dono dela e pelo visto o faz em causa própria.  Vende áreas, permite espigões na praia. O poder público não pode se vender para a especulação imobiliária que ameaça diversas lutas, ambientais, de moradia, por melhor educação e por qualidade de vida”, pontuou.

“Não somos contra o empresariado responsável, que gera emprego e que tenha consciência ambiental, mas não é a realidade: se você andar pela cidade, vai ver muitas lojas gigantescas do amigo do prefeito ou do antecessor, dentre tantos outros amigos”, completou a petista.

Aliança com o PL

Marta Rodrigues criticou também a aliança que Bruno Reis pretende fazer com o PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro e com o Novo. A vereadora destacou o que chamou de modelo devastador do meio ambiente adotado por ele. “As políticas ambientais são semelhantemente catastróficas”.

Segundo Marta, enquanto Bolsonaro “destruiu parte da Amazônia, desmontou conselhos e políticas públicas de preservação e reflorestamento, entregando parte do país à especulação imobiliária, Bruno repete o modelo de gestão em Salvador”.

“Ele vai de encontro à agenda global e ambiental num dos momentos mais drásticos provocados pelas mudanças climáticas, inclusive em Salvador, eleita a quinta capital mais aquecida do país, conforme pesquisa do renomado Instituto Climate Central, que faz pesquisas sobre clima e cria relatórios. Autoridades, gestores, instituições do mundo inteiro assinaram a Emergência Climática e o prefeito faz tudo ao contrário”, afirmou a vereadora.

 

Leia também:

Gleisi Hoffmann desembarca em Salvador e participa de evento pela democracia no Pelourinho

Política