Pular para o conteúdo
Início » Mauro Cid nega coação da PF em delação e diz que áudios foram ‘desabafo’

Mauro Cid nega coação da PF em delação e diz que áudios foram ‘desabafo’

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Ex-ajudante de ordens da Presidência no governo Bolsonaro prestou depoimento após vazamento de áudio e voltou a ser preso

O tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens da Presidência no governo Jair Bolsonaro (PL), negou em depoimento, na tarde desta sexta-feira (22), ter sido coagido em sua colaboração premiada. Ele foi ouvido por um juiz auxiliar do gabinete do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), após virem a público áudios em que ele sugere ter sido pressionado pela Polícia Federal a confirmar uma “narrativa pronta”. 

Após depoimento, o tenente-coronel voltou a ser preso por descumprimento de medidas judiciais e por obstrução de Justiça. A ordem de prisão preventiva do militar foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes.

“Nunca houve induzimento às respostas. Nenhum membro da polícia federal o coagiu a falar algo que não teria acontecido”, afirmou o  tenente-coronel. 

Mauro Cid também negou ter vazado o áudio. Ele afirmou que fez um “desabafo” em uma conversa privada e que não sabe como a mensagem foi divulgada. Ele disse ainda que não lembra exatamente com quem conversou.

 

Leia também:

Apoiadores de Bolsonaro e Lula repercutem prisão de Mauro Cid após vazamento de áudios

Em delação, Cid confirmou que Bolsonaro mandou forjar vacinação da Covid

Polícia Federal indicia Bolsonaro e Mauro Cid por falsificação de certificado vacinal

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)