header1_bg
Pular para o conteúdo
Início » Lula e Boulos podem ser multados em até R$ 25 mil por propaganda eleitoral antecipada

Lula e Boulos podem ser multados em até R$ 25 mil por propaganda eleitoral antecipada

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Lei das Eleições estabelece que isso só é permitido após 15 de agosto

Procuradores que atuam na Justiça Eleitoral avaliam que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Guilherme Boulos (PSol-SP) podem responder por propaganda eleitoral antecipada. A multa para essa irregularidade chega a R$ 25 mil. Os dois teriam infringido a lei no ato do Dia do Trabalhador, na quarta (1º), em São Paulo.

A percepção de que Lula e Boulos podem ser investigados por pedido de voto antes do permitido também é compartilhada por advogados eleitorais e por um ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ouvidos sob anonimato pela CNN Brasil.

No ato em São Paulo, Lula pediu à plateia votos a Boulos para prefeito da cidade. O deputado, que estava no palco próximo ao presidente, é pré-candidato e conta com o apoio do petista.

“Eu vou fazer um apelo: cada pessoa que votou no Lula em 1989, em 1994, em 1998, em 2006, em 2010, em 2018, em 2022, tem que votar no Boulos para prefeito de São Paulo”, afirmou o mandatário.

A análise dos atos de candidatos à prefeitura de São Paulo no âmbito eleitoral é uma atribuição de promotores eleitorais do Ministério Público do Estado. A avaliação de procuradores que atuam em seus estados com esses temas, no entanto, é a de que Lula e Boulos realizaram propaganda eleitoral antecipada.

O que diz a lei sobre propaganda eleitoral

A Lei das Eleições estabelece que a propaganda eleitoral somente é permitida após o dia 15 de agosto. A legislação prevê multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil ao “responsável pela divulgação da propaganda e, quando comprovado o seu prévio conhecimento, o beneficiário”.

A resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que trata do assunto considera propaganda antecipada passível de multa quandoi for divulgada fora do período permitido e cuja mensagem contenha pedido explícito ou subentendido de voto.

Procuradores eleitorais afirmam que, caso haja repetição do pedido de votos, Lula e Boulos podem eventualmente responder por abuso do poder político.

Essa irregularidade eleitoral pode levar à cassação do registro de candidatura ou do diploma e à inelegibilidade. Para ocorrer o abuso, de acordo com esses procuradores, é necessária a reiteração de atos de uso da máquina na pré-campanha e na campanha.

Um dos procuradores ouvidos pela reportagem da CNN Brasil pondera que trata-se de algo raro de acontecer. Ele explica que tem de ser algo bem reiterado durante o período vedado e com múltiplas condenações.

Leia também:

Rio Grande do Sul declara estado de calamidade pública em função das chuvas

 

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Política