header1_bg
Pular para o conteúdo
Início » Kiki Bispo admite negociação para atrair aliados do PT para a base de Bruno

Kiki Bispo admite negociação para atrair aliados do PT para a base de Bruno

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Segundo o Edil, nove partidos devem seguir na caminhada para a reeleição de Bruno Reis

O líder do governo Bruno Reis (União Brasil) na Câmara Municipal de Salvador (CMS), o vereador Kiki Bispo (União Brasil), falou sobre uma possível migração de vereadores aliados do PT, do MDB, para o lado do projeto do prefeito Bruno Reis nas eleições de 2024. Em entrevista com o editor-chefe do Portal M!, Osvaldo Lyra, o Edil disse que não podia entrar em detalhes, mas que estava em diálogo com lideranças do “outro lado”.

O vereador, que esteve presente durante entrega de dispositivos de tecnologia para Rede Municipal de Educação,  destacou que alguns acordos estão sendo finalizados para as eleições e que outros dois ou três ajustes já estão sendo pontuados.

“Com a saída do Podemos na nossa base, novos vereadores vieram para a nossa base, por exemplo, Ricardo Almeida que estava no PSC, que hoje já deve estar se filiando ao DC, o vereador Sidinho, o vereador Carolino. Estamos muito perto, talvez seja esse um ou mais dois ou três ajustes que nós estamos ainda pontuando, mas até sábado eu tenho certeza que nós vamos encontrar o melhor formato,” enfatizou.

O vereador se mostrou otimista com os números. Segundo Kiki, com os resultados, é possivel a eleição de 35 vereadores. “Nós somos 32 vereadores, nós estamos recebendo adesões de suplentes de candidatos de lideranças do campo oposicionistas, então a nossa tendência natural é que cresça a nossa bancada,” ponderou.

Kiki Bispo ainda afirmou que nove partidos devem seguir na caminhada para a reeleição de Bruno Reis em 2024.

“O formato do número de partidos me parece que está muito mais definido, esse ano sairemos com nove partidos. Em relação a 2020, houve uma redução e vamos fazer uma divisão proporcional com todos os partidos da nossa base. Estamos finalizando os últimos ajustes e até sábado teremos algumas novidades. Pode ocorrer alguns remanejamentos que é natural do processo democrático para a gente poder equilibrar as forças políticas”, disse.

 

 

Leia também:

Conta de energia: Silveira diz que MP poderá permitir redução de tarifa em 3% no país 

Advogados do PT e PL prometem recorrer caso TRE-PR rejeite cassação de Moro 

Senador bolsonarista pode ser cassado pelo TSE nesta quinta; entenda o caso 

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Política