header1_bg
Pular para o conteúdo
Início » Governistas derrubam inscrição de Fabrício Falcão ao TCM

Governistas derrubam inscrição de Fabrício Falcão ao TCM

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Presidente da AL-BA, Adolfo Menezes declarou que a eleição para o TCM deve acontecer ainda na primeira quinzena de março

Deu certo a manobra de lideranças da base do governo na Assembleia Legislativa para inviabilizar a reunião da Mesa Diretora da Casa que avaliaria, na manhã desta terça-feira (27), o pedido de inscrição do deputado Fabrício Falcão (PCdoB) para ser candidato na eleição à cadeira vaga no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Apenas quatro dos nove membros do colegiado que comanda os destinos do Legislativo marcaram presença, número insuficiente para que houvesse quórum, dessa forma, o pleito de Fabrício não foi analisado.

A base do governador Jerônimo Rodrigues (PT), que buscou se manter publicamente neutra na disputa, terá um único candidato: o deputado Paulo Rangel (PT). A oposição inscreveu o ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Marcelo Nilo (Republicanos).

Estiveram presentes na reunião da Mesa Diretora o presidente da Assembleia, deputado Adolfo Menezes (PSD), que convocou o encontro exclusivamente para analisar o pleito do comunista; o deputado Marcelinho Veiga (União), primeiro-secretário; o deputado Samuel Júnior (Republicanos), segundo-secretário; e o deputado Zó (PCdoB), quarto-secretário e companheiro de partido de Fabrício.

Todos os quatro vice-presidentes se ausentaram: José Raimundo (PT), Marquinho Viana (PV), Antonio Henrique Júnior (PP) e Laerte do Vando (Podemos), além do terceiro-secretário, Vitor Azevedo (PL), um dos principais articuladores da candidatura ao TCM de Paulo Rangel. Nem os suplentes da Mesa Diretora compareceram.

Somente duas ausências teriam sido justificadas: a de José Raimundo, que alegou motivo de doença da esposa, e Marquinho Viana, que informou estar em Brasília. Agora, Fabrício só tem uma possibilidade de garantir a inscrição: por meio de ato individual do presidente da Assembleia.

“Não existe essa possibilidade porque não convém. Dei toda a oportunidade que me cabia, para a Mesa Diretora fazer a inscrição, mas como os membros não compareceram por falta de quórum, como você mesmo pode testemunhar aqui, teremos só dois candidatos ao TCM que já foram inscritos: o deputado Paulo Rangel (PT) e o ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos)”, declarou Adolfo.

O presidente disse ainda não saber se houve manobra do governo ou de parlamentares da base de Jerônimo para inviabilizar a reunião da Mesa Diretora. A tendência é que se o pedido fosse analisado, Fabrício conseguiria a inscrição, pois a avaliação geral é que seria constrangedor para o colegiado barrar o pedido de um membro da Casa sem motivo plausível.

Desde que a reunião de hoje foi marcada, Paulo Rangel e um grupo de deputados da base governista se movimentam nos bastidores para que não houvesse quórum. Parlamentares como Vitor Bonfim (PV), Nelson Leal (PP) e o próprio Vitor Azevedo, com o respaldo do chefe de Gabinete do governador, Adolpho Loyola, estiveram à frente das articulações.

Adolfo Menezes declarou que a eleição para o TCM deve acontecer ainda na primeira quinzena de março. Antes, os candidatos precisam ser sabatinados e ter os nomes aprovados na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que foi instalada hoje.

*Com informações de Toda Bahia

 

Leia também:

Após encontro com Zema, Novo participa de evento em apoio à reeleição de Bruno Reis

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Política