Pular para o conteúdo
Início » Estado e Banco do Brasil assinam acordo para implantação do primeiro Centro Cultural do Norte-Nordeste

Estado e Banco do Brasil assinam acordo para implantação do primeiro Centro Cultural do Norte-Nordeste

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Ato aconteceu no Palácio da Aclamação, no Campo Grande, onde será instalado novo equipamento cultural

A Bahia vai ganhar a primeira sede do Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) do Norte-Nordeste. O protocolo de intenções nesse sentido foi assinado, nesta sexta-feira (22), pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) e pela presidente do Banco do Brasil (BB), Tarciana Medeiros.

O ato aconteceu no Palácio da Aclamação, no Campo Grande, em Salvador, e contou com a presença de diversas autoridades. O documento entra em vigor a partir da assinatura e tem prazo de 180 dias. 

Jerônimo destacou que o Estado fará um investimento de manutenção, construção e de restauro do Palácio, atendendo as exigências dos institutos de manutenção da história, que exigiram que a arquitetura original fosse mantida. “Destaco aqui o zelo da presidenta do BB por escolher o arquiteto que sempre vem fazendo o trabalho com o CCBB e que tem uma característica muito forte, que é de deixar a história mantida e trazer uma construção nova, sempre com arranjo combinado com o que já existe”, explicou o governador.

Primeiro CCBB da região Norte-Nordeste e quinto do país, a implantação do equipamento cultural é uma parceria entre os governos baiano e federal e o BB. Para se tornar sede, o Palácio da Aclamação foi cedido ao CCBB e vai passar por adequações, o Governo do Estado irá assumir as obras de reforma, ampliação e modernização do espaço. Para atender à necessidade e programação da unidade, está prevista a construção de um anexo.  

O equipamento será um novo e importante polo de investimentos culturais no estado, promovendo a integração de diversas linguagens artísticas e o intercâmbio e a valorização da cultura baiana.

Segundo a presidenta do BB, Tarciana Medeiros a parceria entre os governos estadual e federal foram primordiais para a instalação do equipamento em solo baiano. “Vale a gente ressaltar essa parceria histórica. A partir do diálogo aberto desde o primeiro dia da minha posse, quando o presidente Lula me deu posse, e eu e a ministra Margareth assinamos o edital da Cultura, o senador Jacques Wagner e o governador Jerônimo já trouxeram esse anseio de um Centro Cultural do Banco do Brasil, na Bahia”, pontuou a presidenta.

O acordo para implantação é resultado de tratativas que começaram há mais de um ano, entre o Governo do Estado e o Banco do Brasil. Salvador foi escolhida para receber o novo CCBB por dialogar com premissas relevantes de curadoria para a estratégia de investimento da instituição financeira em cultura, como identidade e pluralidade. Frente a outras capitais da região Nordeste, Salvador foi a que obteve maior nota final na análise de critérios como população, cidades criativas, cidades inteligentes e arrecadação federal com turismo. 

O secretário estadual de Cultura, Bruno Monteiro, destacou a importância de mais um espaço de dinamização artístico e cultural para a cidade. “O CCBB efetiva a valorização do Centro Histórico como um corredor cultural, que vem desde a Graça com o Museu de Arte Contemporânea, o Museu de Arte da Bahia, no Corredor da Vitória, com o Museu de Arte Moderna, na Avenida Contorno,  o Centro Cultural da Caixa, o TCA e o Pelourinho. Tudo isso reforça essa vocação da cultura da Bahia”.

Centros culturais

Os centros culturais abrigam projetos em diversas áreas e linguagens, como exposições, peças teatrais, mostras de cinema, shows e atividades culturais, ideias e programas educativos, com atividades acessíveis à sociedade. Pela proximidade com o Centro Histórico, a proposta é que o CCBB – Salvador fortaleça o circuito cultural da região, que conta com museus, galerias, teatros, cinemas e outros equipamentos do segmento.

Segundo a ministra da Cultura,  Margareth Menezes, a unidade da Bahia irá fortalecer a cultura soteropolitana, aproximando o público e criando oportunidades para os artistas. “Mais um espaço para o acontecimento cultural, para o acontecimento artístico na nossa cidade, na nossa Bahia. No Nordeste, é o primeiro do Banco do Brasil. Isso é um grande presente para nós, especialmente nesse lugar. Todos nós temos a ganhar com isso”, enfatizou a ministra. 

História

O primeiro Centro Cultural foi fundado em 1989, no Rio de Janeiro. O espaço é um importante instrumento de rejuvenescimento constante da marca BB e de sua base de clientes, por sua estreita conexão com o público jovem e pela formação permanente de plateias. São espaços que materializam as diretrizes culturais do Banco, de oferecer espaço a artistas e manifestações culturais que merecem maior representatividade no cenário nacional.

Salvador foi integrada à rede de cidades criativas, projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), para promover a cooperação entre as cidades que reconhecem a criatividade como fator importante no seu desenvolvimento urbano sustentável, inclusão social e cultura vibrante. Por conta disso, foi reconhecida pela Unesco, em 2016, como “cidade da música”. 

 

Leia também:

Governo do Estado solicita que Vitória da Conquista intensifique ações de combate à Dengue

Estado lança edital de requalificação do Parque do Abaeté

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)