Pular para o conteúdo
Início » “Coelba presta mal serviço à Bahia e sua concessão não deve ser renovada automaticamente”, brada Robinson

“Coelba presta mal serviço à Bahia e sua concessão não deve ser renovada automaticamente”, brada Robinson

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Declaração foi dada durante a audiência pública realizada pelas comissões de Infraestrutura e Agricultura da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) com o presidente da Coelba, Thiago Freire

O deputado estadual Robinson Almeida (PT) criticou, na manhã esta terça-feira (5), a prestação de serviços à Bahia da companhia do grupo espanhol Neoenergia e defendeu que o contrato de concessão da empresa, que vence em 2027, não seja renovado automaticamente este ano. A declaração foi dada durante a audiência pública realizada pelas comissões de Infraestrutura e Agricultura da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) com o presidente da Coelba, Thiago Freire.

Segundo o petista, o contrato de privatização da Coelba, assinado em 1997 pelo então governador Paulo Souto (ex-PFL, hoje UB), possui uma cláusula que permite a sua renovação por mais 30 anos, três anos antes do vencimento do contrato, caso não haja questionamentos à União.

Coordenador da subcomissão, criada na Casa para acompanhar a execução do contrato de concessão da Coelba, demandas e investimentos represados pela companhia no Estado, Robinson avaliou que a companhia “presta um mal serviço à Bahia e compromete o desenvolvimento do Estado ao não ampliar os investimentos e melhorar a sua infraestrutura elétrica”. O parlamentar cita como exemplo a não ligação à rede elétrica de pelo menos 27 mil obras estaduais e o atraso na entrega de escolas de tempo integral, prontas pelo governo do estado, porque a companhia ainda não fez a ligação da rede elétrica às unidades de ensino.

“São 27 mil obras sem atendimento da Coelba na Bahia; se cada obra dessa gerar dez empregos, teríamos 270 mil empregos no Estado”, ilustrou o parlamentar. “A Bahia, portanto, vive um grande problema na distribuição de energia elétrica porque a Coelba não presta um serviço com qualidade ao povo baiano. Esse fato, que torna a empresa uma das campeãs de reclamação do consumidor, não a habilita a renovar esse contrato (de concessão) automaticamente”, enfatizou Robinson.

Segundo Almeida, as queixas contra o grupo Neoenergia são generalizadas, envolve toda classe política, o segmento empresarial do campo e da cidade, como o agronegócio e o setor industrial, além dos consumidores residenciais e o próprio governo do estado, principal cliente da companhia.

“Nós queremos que a Coelba cumpra com suas obrigações contratuais, que atenda as demandas do povo baiano. Nosso objetivo é fazer com que a Coelba melhore a prestação dos seus serviços ao povo baiano e que não seja uma pedra no sapato da Bahia, como é hoje, atrapalhando o desenvolvimento do nosso estado e gerando mal estar aos baianos com seu péssimo serviço”, declarou Robinson Almeida, que é engenheiro eletricista e líder da Federação PT, PCdoB e PV no legislativo estadual.

 

Leia também:

Neoenergia Coelba reforça operação no Sul da Bahia para reverter impacto das chuvas

Neoenergia Coelba remove cerca de 80 mil ligações irregulares de energia na Bahia

Marcações:
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)