header1_bg
Pular para o conteúdo
Início » CCJ da Câmara aprova prisão de Brazão; tema vai ao plenário com incerteza sobre resultado

CCJ da Câmara aprova prisão de Brazão; tema vai ao plenário com incerteza sobre resultado

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

O PL, o União Brasil e a oposição orientaram pela soltura do deputado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta quarta (10), a manutenção da prisão do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ). O parlamentar foi apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, em 2018. Foram 39 votos a favor da prisão, 25 contra e uma abstenção. A matéria vai agora para o plenário, onde há uma divisão e o resultado é incerto.

O PL, o União Brasil e a oposição orientaram pela soltura do deputado. O PP, o Republicanos e o Podemos liberaram suas bancadas. Foram favoráveis à manutenção da prisão PSOL, PT, MDB, PDT, PSB e PSD e o governo. Brazão foi detido preventivamente pela Polícia Federal por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF. A Câmara tem a prerrogativa de decidir se mantém ou não a prisão.

O parecer do relator, o deputado Darci de Matos (PSD-SC), foi pela manutenção da prisão. O PL passou a apoiar a cassação do mandato do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ) como forma de tentar abrir caminho para a soltura do parlamentar

Durante a reunião em que o Conselho de Ética abriu o processo de cassação hoje, o deputado Domingos Sávio (PL-MG) apresentou uma representação para que Brazão perdesse o mandato. O PSOL, contudo, já havia protocolado o mesmo pedido duas semanas atrás

Parlamentares da oposição criticam a prisão preventiva de Brazão e argumentam que há temor de que se abra um precedente para que mais parlamentares sejam detidos dessa forma no futuro. Além disso, querem mandar um recado ao STF e a Moraes com a soltura do deputado.

“O ministro Alexandre de Moraes está exorbitando, mas não é novidade. E é aí que mora o problema. Num primeiro momento eu pensei: quero que esse cara fique preso e apodreça na prisão. Depois, eu reavaliei e compreendi o seguinte: eu quero que ele seja cassado e responda pelo crime, porque cassado ele pode ser preso legalmente”, disse Domingos Sávio, na CCJ.

“Eu não posso concordar que o ministro Alexandre de Moraes está acima da Constituição”, emendou. “Eu tenho consciência de que temos que punir (Brazão), cassando o mandato, e vamos fazer isso Agora, rasgar a Constituição, dizer que o Alexandre de Moraes está acima do bem e do mal e que ele pode prender quem ele quiser, não vou fazer isso em hipótese alguma.”

Leia também:

Após reassumir o PRTB, Celsinho Cotrim consegue montar partido em 170 cidades baianas

Minha Casa, Minha Vida seleciona quase 15 mil unidades habitacionais na Bahia em mais de 190 municípios

Alan Sanches reitera posição sobre instalação do Conselho de Ética: “serve para qualquer parlamentar, mas não pode haver açodamento”

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Política