header1_bg
1__BANNER_728x90
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_CAPITAL_728x90___SAO_JOAO_2024
BANNER_728x90___BRT_LAPA
BANNER_728x90___E_LAURO__E_TRABALHO
1__BANNER_728x90
Pular para o conteúdo
Início » Capitão Alden apresenta projeto para punir quem oferecer resistência a abordagem policial

Capitão Alden apresenta projeto para punir quem oferecer resistência a abordagem policial

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Penalidades previstas na proposição chegam até 12 anos de prisão a depender da gravidade da infração

O deputado federal Capitão Alden (PL-BA) protocolou, na Câmara Federal, o projeto de Lei 954/2024, que dispõe da alteração na lei 14.197/2021, para punir quem oferecer ou opor resistência à abordagem policial. De acordo com o autor da proposição, a medida visa trazer maior amparo jurídico para que os policiais possam realizar suas atividades de maneira mais segura e com as devidas penalidades para os infratores que dificultarem de forma arbitrária, por exemplo, o ato da abordagem.

“O projeto visa tornar crime ações de resistência e oposição de resistência com o uso de violência ou grave ameaça durante abordagens policiais, controle, contenção, imobilização ou condução de suspeitos, visando garantir a efetividade das ações policiais, pois atentar contra os policiais no cumprimento do seu dever é atentar contra o Estado”, afirma Alden.

Segundo o parlamentar, que é membro titular da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, é crucial reconhecer que a abordagem policial constitui uma prática essencial no cotidiano da atividade dos agentes de Segurança Pública. O político reconhece que embora possa interferir nos direitos básicos do cidadão, como o direito à liberdade de movimento, é de suma importância na identificação de pessoas e objetos, na apreensão de armas, drogas, e produtos de crimes, além de ser um instrumento vital na prevenção de delitos e na manutenção da ordem pública.

“Temos observado um aumento significativo de casos em que indivíduos objetos da abordagem ou terceiros oferecem resistência por meio de violência ou grave ameaça durante abordagens policiais. Esses atos não apenas representam uma ameaça à Segurança Pública, mas também comprometem a estabilidade do Estado democrático de direito, colocando em risco não apenas a vida e a integridade física dos agentes, mas também a segurança da população em geral”, pontua Alden.

Penalidades

O PL 954/2024 prevê em seu texto penalidades que variam a depender da gravidade da infração conforme relacionado todos os exemplos abaixo:

Reclusão de 2 a 8 anos

Criar resistência ou opor resistência com a utilização de violência ou grave ameaça à atuação dos agentes de segurança pública durante abordagem, controle, contenção, imobilização ou condução de suspeitos;

Aumenta-se a pena de metade até o dobro, se o suspeito ou terceiros utilizarem armas de

fogo ou armas brancas contra os agentes.

Reclusão de 4 a 12 anos

Se o suspeito ou terceiros subtraem ou tentam subtrair a arma de fogo dos agentes;

Se o suspeito durante a fuga atira em terceiros com vistas a retardar a fuga ou obrigando os agentes a prestarem socorro a terceiros;

Se o suspeito durante a fuga utilizar veículo expondo terceiros a risco ou causando danos a terceiros.

 

Leia também:

Bolsonaro diz ao STF que seria “ilógico” pedir asilo a embaixador

Prefeitura de SP é multada em R$ 50 mil por homenagem a Michelle Bolsonaro no Teatro Municipal

Marcações:

Política