Pular para o conteúdo
Início » Após derrubada de vetos no Congresso, Lula vai retomar agendas com parlamentares

Após derrubada de vetos no Congresso, Lula vai retomar agendas com parlamentares

Congresso Nacional, em Brasília
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)
Segundo Padilha, presidente vai receber líderes e vice-líderes de partidos e se reunir com ministros para tratar de temas em tramitação no Legislativo

Após as derrotas da última semana em votações no Congresso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai retomar seu envolvimento direto na articulação política do governo. Segundo o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, Lula estará aberto a receber líderes e vice-líderes de partido e também vai se reunir com ministros para tratar de temas em tramitação no Legislativo.

De acordo com o ministro, “nada” substitui a presença e o contato do chefe do Executivo com os parlamentares. “O presidente Lula já recebeu líderes e vice-líderes este ano. Está à disposição para receber líderes e vice-líderes outras vezes”, afirmou Padilha, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (3), no Palácio do Planalto.

Padilha pontuou que o chefe do Executivo “faz questão” de promover agendas de sanção de projetos prioritários do governo, tanto em grandes atos como em atos menores, para “valorizar” o trabalho dos congressistas e aproveitar as ocasiões para se reunir com eles.

“O presidente está sempre à disposição de manter um contato. E é muito importante que ele esteja com essa disposição sempre, de manter o contato com os líderes e parlamentares porque nada substitui a presença do presidente da República”, comentou.

Padilha minimizou as derrotas que o governo no Congresso e afirmou que há ainda uma avaliação positiva do desempenho da gestão federal no Parlamento, já que não houve revés em relação aos projetos econômicos e sociais.

As declarações ocorreram nesta segunda-feira após reunião de Lula com Padilha e os secretários-executivos da Fazenda, Dario Durigan, e da Casa Civil, Miriam Belchior, além dos líderes do governo no Congresso, Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), e na Câmara, José Guimarães (PT-CE). Depois do encontro, Padilha, Randolfe e Guimarães deram entrevista.

De acordo com Padilha, Lula tinha interrompido os encontros de articulação por conta da tragédia no Rio Grande do Sul. Agora, “passado momento mais crítico” no Estado, o presidente quer retomar tais agendas.

O foco do encontro é tratar das pautas do governo no Parlamento. Na semana passada, entre os temas analisados, deputados federais e senadores derrubaram o veto de Lula à saída temporária de presos, a “saidinha”, mantiveram o veto do ex-presidente Jair Bolsonaro que impediu transformar em crime a disseminação de informação falsa em campanha eleitoral e permitiram o veto de Lula ao calendário de emendas.

Apesar das derrotas, Padilha, responsável pela articulação política do governo com o Congresso, afirmou que há uma “avaliação positiva” por conta do avanço da pauta do governo de projetos econômicos e sociais, além de não ter havido desarranjo no Orçamento na sessão do Congresso.

Segundo ele, o que ocorreu na semana passada não “surpreendeu” os articuladores do governo. “Temos que encarar a realidade, Congresso tem posições conservadoras”, comentou o ministro.

Mesmo com a retomada das agendas de articulação, Padilha afirmou que o governo continua acompanhando diariamente as ações da gestão federal no Rio Grande do Sul.

Leia também:

Congresso derrota Lula e derruba veto à ‘saidinha’ de presos do regime semiaberto

Câmara derruba trechos do decreto de Lula que restringe acesso a armas de fogo

Criminalização das fake news: veja como bancada baiana votou

Antônio Cruz/Agência Brasil
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)