Pular para o conteúdo
Início » Após ataques de Lira, Padilha relembra discurso de Lula que defende sua permanência no cargo

Após ataques de Lira, Padilha relembra discurso de Lula que defende sua permanência no cargo

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Ministro das Relações Institucionais disse que os elogios de Lula a seu trabalho são "uma honra"

 

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, publicou um vídeo de uma fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em que defende a permanência dele na pasta. Após os ataques do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) nesta quinta-feira (11), Padilha disse que os elogios de Lula a seu trabalho são “uma honra”.

Na quarta-feira (10), em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente disse que o ministro das Relações Institucionais está durando muito no cargo e continuará no posto por ser competente. Desde 2023, Padilha é alvo frequente de Lira, que já pediu até mesmo a destituição do ministro.

“O Padilha, possivelmente, tem o cargo mais espinhoso no governo, mais espinhoso. Porque ele é o cara que lida no Congresso Nacional. É a pessoa que se relaciona com os 513 deputados e, às vezes, ainda sobra tempo e ele tenta se relacionar com os senadores. A demanda é muito grande”, disse Lula, na ocasião.

“Essa relação é muito boa no começo. No começo, o deputado pede uma coisa, o senador pede uma coisa, você promete e está maravilhoso. Mas, depois de algum tempo, começa a cobrança, e não tem entrega para fazer. Aí, começa o martírio. O Padilha vai bater recorde. É um ministro que está durando muito tempo no seu cargo e vai continuar pela competência dele”, acrescentou o presidente da República.

Na publicação nas redes sociais, Padilha compartilhou o trecho da fala de Lula. “Ter ouvido isso ontem, publicamente, do maior líder político da história do Brasil é sempre uma honra para toda a equipe do Ministério das Relações Institucionais”, escreveu o ministro das Relações Institucionais no X, antigo Twitter.

“Agradecemos e estendemos esse reconhecimento de competência ao conjunto dos ministros e aos líderes, vice-líderes e ao conjunto do Congresso, sem os quais não teríamos alcançado os resultados elogiados pelo presidente Lula, com a aprovação da agenda legislativa prioritária para o governo e para o Brasil”.

A publicação de Padilha ocorre após Lira ter voltado a fazer críticas diretas ao seu trabalho. Nesta tarde, o presidente da Câmara chamou Padilha de “desafeto pessoal” e “incompetente”, após uma polêmica sobre a prisão do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), que foi mantida nesta quarta-feira pelo plenário da Casa.

“É lamentável que integrantes do governo interessados na estabilidade da relação harmônica entre os Poderes fiquem plantando essas mentiras, essas notícias falsas que incomodam o Parlamento. E, depois, quando o Parlamento reage, acham ruim”, disse o presidente da Câmara, em Londrina (PR).

“(A notícia) foi vazada do governo e, basicamente, do ministro Padilha, que é um desafeto além de pessoal, incompetente”, declarou. “Não existe partidarização; eu deixei bem claro que ontem a votação era de cunho individual, cada deputado é responsável pelo voto que deu. Não tem nada a ver, não teve um partido que fechasse questão. Os partidos liberaram, na sua maioria (as bancadas para que votassem como quisessem)”, emendou.

Leia também: 

Lira chama Padilha de “desafeto pessoal” e “incompetente” após polêmica sobre Brazão

Lula contraria Congresso e permite “saidinha” de preso para visitar família

PSB nega desfiliação do cantor Igor Kannário

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)