header1_bg
1__BANNER_728x90
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_CAPITAL_728x90___SAO_JOAO_2024
BANNER_728x90___BRT_LAPA
BANNER_728x90___E_LAURO__E_TRABALHO
1__BANNER_728x90
Pular para o conteúdo
Início » Sobe para 55 número de casos da febre do Oropouche na Bahia

Sobe para 55 número de casos da febre do Oropouche na Bahia

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Primeiro caso da doença em Salvador foi confirmado no dia 10 de abril

Nesta segunda-feira (15), subiu para 55 o número de casos confirmados da Febre do Oropouche na Bahia a informação foi confirmada pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) os novos casos foram registrados em Ibirapitanga (1) e Taperoá (4). 

O primeiro caso da doença em Salvador foi confirmado no dia 10 de abril. As informações são do G1 Bahia.

Confira cidades com casos confirmados da doença:

Teolândia: 23 casos

Valença:10

Laje: 14

Taperoá: 4

Mutuípe: 2

Salvador: 1

Ibirapitanga: 1

A Sesab não divulgou detalhes sobre o estado de saúde dos pacientes.

 A Febre do Oropouche é uma doença viral transmitida pelo Culicoides paraensis, conhecido como maruim ou mosquito-pólvora. Até o momento, não há registros de transmissão direta entre pessoas.

Os sintomas incluem febre, dor de cabeça e dores musculares, semelhantes aos de outras arboviroses como a dengue e a chikungunya.

Não existe tratamento específico para a Febre do Oropouche, sendo o tratamento focado no alívio dos sintomas.

A secretaria informou que a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado realiza investigações complementares para compreender melhor o cenário dessa doença no estado, além de destacar que não há indicação de uma ameaça iminente à saúde pública.

O órgão estadual reforçou ainda a importância do diagnóstico laboratorial para um acompanhamento efetivo dos casos, e enfatizou que a população deve continuar com as medidas preventivas contra picadas de mosquitos, como uso de repelentes e roupas que minimizem a exposição da pele e além de procurar orientação médica, se necessário.

Leia também:

Bahia tem 269 municípios em epidemia de dengue, diz Sesab

Parlamentares baianos são homenageados em evento do Martagão

Psicóloga explica por que a solidão da mulher é gatilho para o comer emocional

Política