header1_bg
1__BANNER_728x90
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_728x90___APP_ALBA_1_2
BANNER_CAPITAL_728x90___SAO_JOAO_2024
BANNER_728x90___BRT_LAPA
BANNER_728x90___E_LAURO__E_TRABALHO
1__BANNER_728x90
Pular para o conteúdo
Início » Davidson Magalhães diz que 1º Festival Nacional de Artesanato na Bahia coloca o estado na vitrine nacional

Davidson Magalhães diz que 1º Festival Nacional de Artesanato na Bahia coloca o estado na vitrine nacional

banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
banner_portal_noticias__1_Milhao_de_Amigos_osid___1140x130px
2__BANNER_1140x130___CUIDANDO_DE_VOCE (1)

Secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia contou que ação é de extrema importância para fortalecer o setor

O 1º Festival Nacional de Artesanato na Bahia reúne arte, cultura e amplia a visibilidade do artesanato baiano para todo o país. Presente na abertura do evento, Davidson Magalhães, titular da Secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia, (SETRE) reforçou que a ação integra as iniciativas da pasta estadual para incentivar e fortalecer o setor na Bahia.

“A Feira é um salto de qualidade em todas as ações que a Secretaria e o Governo do Estado vem fazendo na área da política pública para o artesanato baiano. O artesanato implica em cultura, na identidade do povo baiano, e você vê aqui a diversidade, a riqueza dessa cultura baiana, que vai desde os povos originários, dos povos tradicionais e de tantas outras realidades regionais”, destacou em entrevista ao Portal M!.

Ao todo, segundo o titular da Setre, existem 20 rotas de artesanato, e o Estado já está realizado um de qualificação e preparação para a comercialização e realização de feiras municipais, regionais, feiras temáticas. “Como já fizemos a Feira do Artesanato Indígena, a Feira do Artesanato Quilombola, mas nós precisávamos colocar esse artesanato na vitrine nacional, na agenda nacional”, enfatizou.

A Bahia está entre os três maiores estados na produção artesanal do Brasil. Na avaliação de Magalhães, a realização ajuda na visibilidade da área em todo o Brasil.

“E nós não estávamos nessa agenda nacional, ou seja, essa vitrine estava limitada a Bahia. Nós precisamos pegar o artesanato da Bahia, porque nós corremos um risco muito sério, que não é só na Bahia, é no Brasil, que é a política do artesanato ter uma crise da solução de continuidade. Por quê? Porque o saber fazer pode ser perdido, porque as novas gerações não se empolgam pelo artesanato. Se não tiver no artesanato uma política de valorização, uma política de modernização dos mecanismos de comercialização”, contou Davidson.

Segundo o gestor, a pasta apostou na construção do portal do artesanato. A iniciativa rendeu um prêmio nacional de inovação, como o único portal que tem referência, georreferenciado. Para os mestres, estão desenvolvendo a política de valorização dos mestres e mestres para que dê solução de continuidade e, principalmente, para incentivar as novas gerações.

O secretário ainda destacou os aspectos positivos do artesanato no estado, como a geração de emprego e renda, incentivo ao empreendedorismo e a herança cultural.

“A geração de emprego em renda, você só faz isso com visão de empreendedorismo, com realização de feiras, com realização de festivais, com e-commerce, via internet, que é o que nós estamos fazendo, aqui é um salto de qualidade na política pública do Governo do Estado da Bahia, abrindo a vitrine nacional”, concluiu.

Confira a entrevista na íntegra:

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Muita Informação (@portalmuitainformacao)



Leia também:

Ministra da Cultura celebra abertura do 1º Festival Nacional de Artesanato na Bahia

Weslen Moreira comemora sucesso da Feira Nacional do Artesanato e anuncia fortalecimento do setor

Feira Artesanato da Bahia promove salão de negócios e oficinas neste fim de semana; confira

Marcações:

Política