Pular para o conteúdo
Início » Campanha alerta sobre primeiros sinais do câncer de cabeça e pescoço

Campanha alerta sobre primeiros sinais do câncer de cabeça e pescoço

Campanha alerta sobre primeiros sinais do câncer de cabeça e pescoço
Ações do Julho Verde ocorrem até o dia 5 de agosto

A Associação Brasileira de Câncer de Cabeça e Pescoço (ACBG Brasil) realiza, este ano, a 8ª Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço, com o tema “Vejo flores em você! Não permita que tumores brotem!”. O objetivo é alertar a população sobre a importância do autocuidado e atenção aos primeiros sinais e sintomas da doença.

As ações da campanha Julho Verde ocorrem até o dia 5 de agosto, em apoio ao combate ao câncer de pulmão e em referência ao PL 4047/2023, que institui o Agosto Branco, iniciativa recentemente aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados e que agora segue para análise do Senado Federal.

Assim, temos o 27 de julho como Dia Mundial de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço e 1º de agosto como o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Pulmão, abordando a metástase que a primeira doença gera no principal órgão do sistema respiratório.

Segundo o médico Lucas Silva, coordenador do Setor de Cabeça e Pescoço do Hospital Aristides Maltez (HAM), o objetivo principal da campanha Julho Verde é ampliar o número de diagnósticos precoces, evitando assim o crescente número de óbitos e mutilações graves que comprometem funções vitais dos pacientes, como fala, respiração, alimentação, visão, audição e cognição.

“Receber o diagnóstico de câncer ainda assusta as pessoas. Elas se desesperam pelo estigma que a doença ainda tem junto à sociedade. A medicina evoluiu muito e, nos diagnósticos precoces, muitos cânceres são curados”, observa.

Lucas Silva explica ainda que anualmente, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) registra cerca de 40 mil novos casos de tumores localizados na cabeça e pescoço. “Estes dados incluem neoplasias que se originam em regiões das vias aéreo-digestivas, como cavidade oral, glândula tireoide e laringe. O número evidencia a necessidade de mais prevenção, melhor diagnóstico e acesso ao tratamento para milhares de brasileiros”, pontua.

Sinais de alerta do câncer de cabeça e pescoço

O especialista diz também a Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço intitulada Julho Verde tem como objetivo ampliar a conscientização sobre os fatores de riscos evitáveis e os sintomas.

Ele explica que esses tipos de câncer têm como principais fatores de risco o tabagismo, o consumo de álcool, as infecções por HPV e o excesso de exposição solar. São cerca de 10 mil mortes por ano no país, só para os cânceres de laringe e cavidade oral. Os sobreviventes enfrentam perdas significativas na qualidade de vida durante e após o tratamento.

“A campanha Julho Verde é a oportunidade de trazer ao conhecimento da sociedade brasileira a realidade da prevalência do câncer de cabeça e pescoço e alertar as autoridades sanitárias para a necessidade de identificação de casos iniciais que repercutirão nos resultados de tratamento”, explica Lucas Silva.

Os tumores de cabeça e pescoço podem ser pouco sintomáticos no princípio da doença. O diagnóstico das lesões iniciais é fundamental para garantir que os índices de cura se aproximem de 100%. Com a progressão da doença, alguns sinais e sintomas podem aparecer, como manchas brancas na boca, dor local, lesões com sangramento ou cicatrização demorada, nódulos no pescoço, mudança na voz e rouquidão, além de dificuldade para engolir.

“Por estas razões, o objetivo da campanha é alertar sobre os fatores de risco, muito presentes entre a população brasileira, e falar da importância do diagnóstico precoce. Em cerca de 60% dos casos, a doença é diagnosticada tardiamente”, alerta.

Leia também:

Hospital do Homem atenderá com demanda regulada e capacidade de mil cirurgias por mês

Divulgação