"Ou o Bolsonaro se alia ao Centrão ou ele vai cair, diz Roberto Jefferson

Presidente nacional do PTB falou das reformas feitas pelo presidente e comentou sobre a campanha para candidatos à prefeitura

Por Redação
04/05/2020 às 09h16
  • Compartilhe
Foto: Reprodução PTB
Foto: Reprodução PTB

Responsável pela denúncia do mensalão, no governo Lula, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, diz que o Supremo Tribunal Federal fez interferências "descabidas" nas ações do governo federal e que isso está provocando uma crise sem precedentes, com ameaças à estabilidade da política do país e à paz social. De acordo com ele, ou Bolsonaro reage, "ou vão subir no cangote dele", como fizeram com seus antecessores. Como alternativa para isso, ele defende a negociação do Planalto com os partidos que integram o Centrão. As informações foram dadas em entrevista para o colunista do jornal A Tarde, Osvaldo Lyra. O jornalista é o editor-chefe do portal Muita Informação.

"Ou Bolsonaro se alia a esses partidos ou ele vai cair. O Collor mesmo já está dizendo. Agora o presidente Bolsonaro não rouba e não deixa roubar... O presidente Bolsonaro se elegeu com R$2 milhões, sem tempo de rádio e televisão, o que é uma soma ridícula para uma eleição presidencial. Ele não rouba, isso eu assevero a você, que não rouba e não deixa roubar. Isso tem levado ao desespero a velha política do Congresso Nacional. Os velhos políticos, com aquela velha maneira do toma lá, dá cá. Política de coalizão, nomeia um carguinho e faz caixa dois para a eleição. Isso não está havendo no governo do presidente Bolsonaro. E olha aonde a crise chegou, nas vésperas das eleições municipais. Ele conseguiu tocar até agora assim, sem troca de cargos", afirma. 

Roberto falou das reformas feitas pelo presidente e comentou sobre a campanha para candidatos à prefeitura.

"A velha política quer assim, ter o dinheiro na mão para financiar o vereador e o prefeito. E aí o presidente Bolsonaro que não rouba e não deixa roubar. Ele está de pé na porta do cofre do tesouro nacional, o que tem gerado essa monstra crise de insatisfação e abstinência da velha política, que não vê dinheiro na véspera da eleição. Mas o presidente tem que sobreviver. Não tem partido santo".

O presidente nacional do PTB chegou a fazer o convite para o presidente Bolsonaro se filar ao partido. Segundo ele o partido que o cargo de presidente da República.

"O presidente Bolsonaro não tem partido, então, ele pode vim para o PTB. Vem para o PTB que ele vai encontrar no PTB homens que pensam como ele, que crêem em Deus, que crêem no Brasil, que são conservadores, que defendem a pátria, que defendem a família. Nós, do PTB, temos essas convicções pessoais, programáticas e estatutárias. Então, ele vindo para o PTB, ele vai encontrar homens da mesma estirpe, do mesmo tamanho intelectual e da mesma base filosófica que ele tem e que vão protegê-lo na sua caminhada. É  um partido que se concilia com a sua maneira de pensar e com a sua maneira de agir. Nós não queremos indicar cargo nenhum no governo do presidente Jair Bolsonaro, não fomos convidados para conversar porque não integramos o Centrão e nem nos oferecemos a conversar, estamos emprestando apoio a ele", disse.