Uso de cheques no Brasil registra queda de 93% desde 1995

No ano passado, volume de compensações caiu 23%

Por Redação
15/01/2022 às 08h18
  • Compartilhe
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Um levantamento feito pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) aponta que, desde 1995, a compensação de cheques caiu 93,4% no país. A tendência é contínua e não parou nos últimos 26 anos. Em 2021, o volume de compensações caiu 23,7%.

Apesar do recuo, a modalidade está longe da extinção. Em 2021, foram compensadas 218,9 milhões de folhas de cheque em todo o Brasil. O volume somou 287,1 milhões em 2020 e chegava a 3,3 bilhões de folhas compensadas em 1995.

O volume financeiro das transações com cheques também despencou. Em 1995, o montante movimentado nessa modalidade totalizava R$ 2 trilhões. A quantia caiu para R$ 668,4 bilhões em 2020 e R$ 667 bilhões em 2021.

O número de devoluções de cheques sem fundos - um dos principais problemas do modelo - também despencou - caiu de 56,8 milhões em 1997 (quando a Febraban começou a pesquisar essa série histórica) para 15,2 milhões em 2020 e 13,6 milhões no ano passado.

Segundo a Febraban, os meios eletrônicos de pagamento conquistaram a preferência dos brasileiros. Os canais digitais (internet e mobile banking) atualmente concentram 67% das transações feitas no país.

 

* Com informações da Agência Brasil.