Anvisa diverge do Ministério da Saúde e define novo esquema de vacinação de reforço

Agência aprovou aplicação de imunizante diferente apenas para quem tomou duas doses da CoronaVac

Por Redação
24/11/2021 às 21h20
  • Compartilhe
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A área técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) definiu, nesta quarta-feira (24), as diretrizes para administração das doses de reforço contra a Covid-19 no Brasil e sobre a intercambialidade das vacinas.

Foi aprovada a vacinação de reforço heteróloga - com um imunizante diferente - apenas para quem tomou duas doses da CoronaVac. Para as demais vacinas (AstraZeneca, Pfizer e Janssen), o esquema ideal é o homólogo, ou seja, com o mesmo imunizante.

No caso da vacina da farmacêutica Pfizer, a recomendação já foi publicada no Diário Oficial da União. Isso porque a solicitação havia sido feita em setembro pela empresa. O pedido de modificação na bula aprovado pela Anvisa nesta quarta.

Já a inclusão da dose de reforço nas bulas dos imunizantes da AstraZeneca e Janssen segue em análise, pois as solicitações à Anvisa foram feitas há uma semana. A agência tem 30 dias para responder.

Segundo a relatora Meiruze Freitas, diretora da Anvisa, a recomendação do reforço da Pfizer para quem tomou a CoronVac foi "tendo em vista que não há dados da CoronaVac na Anvisa para dose de reforço e considerando avaliações de outros que já utilizam dose de reforço da Pfizer para Coronvac - Chile, Uruguai, Indonésia e Singapura".

Ainda de acordo com Meiruze, a recomendação da utilização da Pfizer como reforço da CoronaVac vai acontecer "até que o Instituto Butantan nos apresente mais informações, e que os estudos de monitoramento nos mostrem dados diferentes."

 

Confira como ficou esquema de reforço

- Quem tomou duas doses de CoronaVac deve receber preferencialmente o reforço de Pfizer;
- Quem tomou duas doses de Pfizer deve receber preferencialmente o reforço de Pfizer após seis meses da segunda dose (esquema de vacinação completo);
- Quem tomou duas doses da AstraZeneca deve receber preferencialmente o reforço de AstraZeneca;
- Quem tomou a dose única de Janssen deve receber preferencialmente o reforço (segunda dose) de Janssen.

 

Ministério não consultou

Os diretores da Anvisa tomaram a decisão por unanimidade na reunião desta quarta-feira (24). A área técnica da agência utilizou o parecer técnico do gerente-geral de medicamentos, Gustavo Mendes.

Meiruze Freitas ainda afirmou que o próprio Ministério da Saúde se corrigiu em ofício enviado nesta quarta à Anvisa, após não ter procurado a agência para tomar decisões sobre a dose de reforço na semana passada.

Porém, neste ofício, Meiruze disse que a pasta "ainda recomenda a vacinação heteróloga (vacina diferente) para os imunizados com a AstraZeneca". A informação diverge da análise técnica da Anvisa.

Procurado pela CNN Brasil, o Ministério da Saúde não se manifestou até a publicação desta reportagem.

A agência ressaltou ainda nesta quarta-feira (24) que a pasta do Governo Federal deveria aguardar a orientação técnica antes de ter dado as informações sobre a intercambialidade das vacinas.