Música sempre: há 75 anos Freddie Mercury surgia para sacudir o rock

Buddy, you're a boy, make a big noise//Playing in the street, gonna be a big man some day - Amigo, você é um garoto, faça um barulhão// Tocando na rua, vai ser um grande homem algum dia

Por Adilson Fonseca
11/09/2021 às 15h06
  • Compartilhe
Foto: Reprodução\Internet
Foto: Reprodução\Internet

Normalmente as biografias são lembradas a partir da morte do seu autor. Contudo, como costumo celebrar a vida, preferi destacar o seu nascimento, de forma a lembrar as suas realizações. E não poderia ser diferente com Freddie Mercury (Farrokh Bulsara) esse britânico naturalizado, nascido na Cidade de Pedra, Zanzibar (atual Tanzânia) na África, em 05 de setembro de 1946, e que veio a falecer em 24 de novembro de 1991.

Com seu vozeirão que lembrava um cantor de ópera, misto de tenor e barítono, Freddie Mercury era a alma da banda Queen, que integrou desde 1970 até o seu fim, em 1991. Sua característica marcante, além da voz, era sua performance no palco, sempre interagindo com a plateia, o que o fez tornar-se um dos maiores artistas de todos os tempos.

A grande maioria das músicas do Queen era de sua autoria, até mesmo o último álbum, pós morte, quando fez questão de gravar de forma antecipada, porque já se encontrava bastante debilitado fisicamente, por causa do HIV.

Referencial para muitos artistas, foi imortalizado no filme Bohemian Rhapsody, dos diretores Bryan Singer e Dexter Fletcher, lançado no Brasil em novembro de 2018. O filme, além de adentrar na vida do artista, mostrando os seus conflitos íntimos, a sua relação com os companheiros de banda, seus amores, e sua conturbada relação com a família, relembra alguns dos principais sucessos do Queen. "We are the Champions", "Love of my life" e o nome título do filme, "Bohemian Rhapsody", são destaques.

Da banda The Hectics, criada quando tinha apenas 12 anos de idade, já em solo inglês, Freddie Mercury se apresentava em eventos escolares cantando sucessos de Cliff Richard e Litle Richard, quando então passou a adotar o nome que o com sagrou para o mundo.

O que poucos sabem é que ele foi diplomado como designer gráfico, pelo Ealing Art College, de Londres. E também foi vendedor de roupas, e atendente de balcão no Aeroporto de Heathrow, o maior da Inglaterra. Só em abril de 1971, depois de conhecer o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor, criou o Queen.

A música "We will Rock You", lançada em 1977, é uma espécie de hino do rock em todo o mundo. A música é hipnotizante e soa como um convite ao rock and roll, graças às suas batidas inesquecíveis, que funcionam como um grito de guerra que extrapola os palcos e alcança a plateia e quem quer que goste do rock.

Funciona para todas as gerações, nas três fases da vida: infância, juventude e velhice. Tanto é que já foi executada, referenciada, remixada, e parodiada por inúmeros artistas, programas de TV e filmes.

Em 1992, um ano após a sua morte, os três integrantes remanescentes do Queen organizaram um concerto em homenagem a Freddie Mercury, o The Freddie Mercury Tribute Concert, no Estádio de Wembley, em Londres, com a participação de algumas das maiores bandas da história do rock, como Led Zeppelin, Gun`s Roses, Metálica e U2.