Deputado André Fernandes é condenado por dizer que jornalista oferecia sexo em troca de informação

Justiça determinou que parlamentar indenize Patrícia Campos Mello em R$ 50 mil por danos morais, mas ainda cabe recurso

Por Redação
21/07/2021 às 22h40
  • Compartilhe
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A 27ª Vara do Foro Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) condenou o deputado estadual do Ceará, André Fernandes (Republicanos), pelos ataques de cunho machista contra a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo, em fevereiro de 2020.

A decisão assinada pelo juiz Vitor Frederico Kümpel determina que o parlamentar indenize a vítima em R$ 50 mil por danos morais, mas ainda cabe recurso.

Conforme a decião, os ataques machistas feitos por André Fernandes são prejudiciais à vida particular e profissional da jornalista pelo simples fato de Patrícia Campos Mello ser mulher.

A condenação contra o deputado cearense ocorreu após ele publicar nas redes sociais insinuações de que a jornalista estaria oferecendo sexo aos seus entrevistados para conseguir informações contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

"Se você acha que está na pior, lembre-se da jornalista da Folha de SP que oferece SEXO em troca de alguma matéria para prejudicar o Presidente Jair Bolsonaro. Depois de hoje, vai chover falsos informantes pra cima desta senhora. Força, coragem e dedicação, Patrícia, você vai precisar!", escreveu o Fernandes sobre Patrícia, em sua conta pessoal do Twitter.

Diante das ofensas de cunho sexual, a jornalista ajuizou a ação judicial contra o parlamentar bolsonarista solicitando a indenização por danos morais.