Estudo associa vacina AstraZeneca ao desenvolvimento de púrpura

Os resultados foram publicados na última quarta-feira no periódico Nature Medicine

Por Redação
10/06/2021 às 16h58
  • Compartilhe
Foto: Reuters / Agência Brasil
Foto: Reuters / Agência Brasil

Pesquisadores da Universidade de Edimburgo afirmam que cerca de uma em cada 100.000 pessoas que recebem a vacina da Oxford/AstraZeneca pode apresentar um distúrbio sanguíneo raro e de pouca gravidade chamado púrpura trombocitopênica idiopática (PTI).

O resultado do estudo foi publicado na última quarta-feira (9) no periódico Nature Medicine. A pesquisa foi feita a partir de dados médicos de 5,4 milhões de pessoas coletados entre 8 de dezembro de 2020 e 14 de abril de 2021 na Escócia.

Conforme os cientistas, a PTI leva a uma redução das plaquetas sanguíneas, o que pode causar pequenos hematomas no corpo, deixando alguns pontos vermelhos ou manchas roxos. Em casos mais complicados, os pacientes podem apresentar sangramentos, mas o problema é facilmente controlado e as mortes em decorrência da enfermidade são raras.