DPU entra com ação para anular data do Enem após registrar ocupação de 80% das salas de aula

Entidade disse que Inep mentiu sobre segurança

Por Redação
16/01/2021 às 20h00
  • Compartilhe
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Defensoria Pública da União (DPU) entrou com ação para anular a decisão da Justiça Federal que manteve a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para este domingo (17). 

O órgão diz que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Texeira (Inep) mentiu sobre as medidas de segurança adotadas, já que manteve salas com 80% de ocupação.

O Inep anunciou e informou à Justiça que as salas de prova teriam ocupação inferior a 50%, como forma de garantir o distanciamento adequado entre os candidatos.

No entanto, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) encaminhou um documento ao Inep informando que as salas de suas instalações têm ocupação de 80%. 

A instituição diz que a condição para ceder os espaços foi de que seria respeitado o limite de 40%, o que não ocorreu.

A universidade diz ter comunicado o Inep sobre a situação na terça-feira (12) e que não recebeu resposta até agora. Questionado sobre a alegação, o Inep disse apenas que "não comenta processos em tramitação judicial".

*Com informações do jornal Folha de S.Paulo.