Governo recua e volta a zerar imposto de importação de cilindros de oxigênio

Cobrança havia sido retomada porque Ministério da Saúde não pediu renovação

Por Redação
16/01/2021 às 21h20
  • Compartilhe
Foto: Márcio James/Amazônia Real
Foto: Márcio James/Amazônia Real

Após a crise no sistema de saúde em Manaus, com a falta de oxigênio, o Ministério da Economia, através do Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), decidiu zerar o imposto de importação dos cilindros usados para armazenar o produto. A decisão foi tomada na última sexta-feira (15).

De acordo com o G1, esse imposto de importação já tinha caído a zero em 2020, por conta da pandemia. No fim do ano, no entanto, os cilindros não foram incluídos na lista de prorrogação da medida, elaborada pelo Ministério da Saúde. Por isso, no começo de 2021, a tarifa foi retomada.

Segundo o governo, a vigência do imposto zero é prevista até 30 de junho deste ano. Sem a portaria que zera a cobrança, o imposto previsto nas tabelas é de 14% para o cilindro de ferro, e de 16% para o cilindro de alumínio.