"Salário mínimo está baixo, mas não tem como aumentar", diz Bolsonaro

Presidente reconheceu defasagem do piso durante live semanal

Por Redação
26/11/2020 às 22h30
  • Compartilhe
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu, nesta quinta-feira (26), que o valor do salário mínimo, atualmente em R$ 1.045, é baixo, mas disse não ser possível aumentá-lo, uma vez que o reajuste afetaria diretamente os gastos do governo com a Previdência Social. Ele também elogiou a Reforma Trabalhista, aprovada durante o governo Michel Temer, seu antecessor.

"Muitos reclamam [da reforma], 'o cara tirou direitos'. Ninguém tirou direito de ninguém, mas também não engessou [a legislação]. Inclusive, falei com o Paulo Guedes [ministro da Economia] de novo... Esse ano está difícil. Muita gente reclama, né? 'Ah, o salário mínimo está baixo'. Reconheço que está baixo, mas não tem como aumentar", disse em sua live semanal.

Bolsonaro acrescentou que seu governo pretende criar o programa "Minha Primeira Empresa", para incentivar o empreendedorismo no Brasil. Desta forma, disse o presidente, "quem reclama vai ter a chance de montar sua empresa".

"Não tem mais de onde tirar dinheiro. Então, o governo vai dar uma fórmula, alguma ajuda, e o cidadão pode deixar de ser empregado, de procurar emprego, e montar sua própria empresa", completou. 

 

Sem aumento real para o mínimo

Em agosto, o Governo Federal enviou ao Congresso uma proposta de salário mínimo de R$ 1.067 em 2021, deixando o piso sem aumento real pelo segundo ano seguido. A projeção faz parte do PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual).

Em relação aos atuais R$ 1.045, o aumento é de R$ 22, valor que deve apenas repor a inflação projetada para 2020, de 2,09%, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Na prática, significa que o salário mínimo ficará sem aumento por dois anos.

A previsão de valor do piso nacional em 2021 é R$ 12 menor que a apresentada no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO). Quando enviou a proposta ao Congresso, em 15 de abril, o governo estimou que o piso salarial em 2021 seria de R$ 1.079, devido à projeção de 3,29% para o INPC à época.

 

* Com informações do Portal UOL.