Discurso de Bolsonaro sobre racismo choca participantes do G20, diz colunista

Fala do presidente também gerou indignação entre os que acompanharam o evento virtual

Por Redação
21/11/2020 às 17h10
  • Compartilhe
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

Amplo constrangimento e choque entre algumas delegações estrangeiras. Foi o que gerou o discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), feito durante a reunião virtual do G-20, neste sábado (21), quando ele reclamou dos protestos contra o racismo no Brasil.

De acordo com o colunista Jamil Chade, do UOL, ao discursar na abertura da reunião virtual, o presidente fez uma alusão à morte de João Alberto Silveira Freitas, em Porto Alegre. Mas não como muitos esperavam. 

"O Brasil tem uma cultura diversa, única entre as nações. Somos um povo miscigenado", afirmou Bolsonaro. "Foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo. Contudo, há quem queira destruí-la, e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarados de 'luta por igualdade' ou 'justiça social'. Tudo em busca de poder", disse o presidente.

Uma parcela das delegações não entendeu imediatamente do que se tratava. Mas, para quem acompanhava a situação no Brasil, a atitude foi considerada como um ato "sem sintonia" com o discurso de direitos humanos das entidades internacionais, principalmente num momento em que a pandemia afeta de forma desproporcional a parcela mais vulnerável da população.

Uma negociadora de alto escalão de um país europeu que acompanha a reunião confessou à coluna que ela e outros ficaram "em choque" ao ouvir a "tese de conspiração" sobre o racismo no Brasil.

"Como é que, em pleno século 21, ainda escutamos tais discursos", questionou a diplomata, na condição de anonimato. Fontes ainda confirmaram que diplomatas estrangeiros trocaram mensagens comentando a atitude do brasileiro, enquanto outros, sem saber o motivo da declaração, buscavam entender do que Bolsonaro falava.