Justiça eleitoral e redes sociais fazem parceria para combater fake news nas eleições

Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, anunciou que há acordo com pelo menos seis plataformas

Por Redação
01/10/2020 às 13h30
  • Compartilhe
Foto: Sérgio Lima/Poder360
Foto: Sérgio Lima/Poder360

Para combater a divulgação de fake news durante as eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fez uma parceria com as principais redes sociais. A informação foi confirmada por Luís Roberto Barroso, presidente da Corte. Ele explicou que não haverá censura, pois o objetivo principal é prevenir o problema.

"Claro que nós iremos reprimir os casos de fake news que possam ser reprimidos judicialmente. Mas nós estamos fazendo um pouco diferente. Nós estamos tendo uma atuação preventiva intensa para tanto minimizar a ocorrência de fake news, quanto para procurar neutralizar a ocorrência de fake news", declarou Barroso em entrevista a GloboNews.

Pelo menos seis empresas já fizeram acordos com o Tribunal: WhatsApp, Twitter, Facebook, Instagram, Google e TikTok. Elas vão desenvolver ferramentas para combater perfis falsos, uso indevido de robôs e impulsionamentos ilegais de conteúdo.

Além da parceria com as plataformas, Barroso explicou que o TSE tomará outras providências para combater a disseminação de fake news, como a criação de um site chamado "fato ou boato". Ele negocia para que o acesso a esse portal seja gratuito para toda população, sem desconto em pacotes de dados.

*Com informações do UOL.