Bruno Covas torna home office permanente na Prefeitura de São Paulo

Texto do decreto aponta as vantagens do teletrabalho: aumento da produtividade, melhoria na prestação de serviços e significativa redução de despesas de custeio

Por Redação
15/09/2020 às 23h00
  • Compartilhe
Foto: Reprodução/Catraca Livre
Foto: Reprodução/Catraca Livre

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinou um decreto que torna definitiva a prática de teletrabalho, o home office, no serviço público da capital paulista. Servidores já vêm trabalhando de casa desde o começo da pandemia de Covid-19. Os detalhes sobre o funcionamento e as regras em cada carreira e função ainda serão definidos em portarias futuras.

Ao justificar a medida, o texto do decreto afirma que, "da experiência com a adoção do regime de teletrabalho no período de emergência, advieram resultados satisfatórios para a Administração, como o aumento da produtividade e a melhoria na prestação de serviços", que há "significativa redução de despesas de custeio" desde que o trabalho em casa começou e que "a experiência global aponta para o caminho irreversível de teletrabalho".

A Prefeitura de São Paulo já vinha ensiando a adoção de alguma medida neste sentido desde o ano passado, quando criou um programa de teletrabalho para funcionários da Fazenda municipal. Com a pandemia, a equipe de Covas identificou que seria possível expandir a proposta para praticamente todo o serviço público ainda neste ano, antes das eleições, uma mudança de gestão que traria a marca de "eficiência" para a campanha. Covas já havia dito, em entrevista ao Estadão, antes do coronavírus, que via a "inovação" como o "diferencial de sua gestão". 

 

* Com informações do jornal O Estado de São Paulo.