Queiroz esteve em três endereços ligados a Wassef, indica celular de mulher do ex-assessor

Dados telefônicos de Márcia de Aguiar mostram 'abrigos' do ex-policial militar em São Paulo

Por Yuri Abreu
03/07/2020 às 10h29
  • Compartilhe
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Dados do celular de Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Fabrício Queiroz, mostram que o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) passou por pelo menos três cidades e endereços ligados a Frederick Wassef - ex-advogado do parlamentar e que também se apresentava como defensor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Conforme o Estadão, as informações tem ajudado a elucidar onde o também ex-policial militar esteve enquanto o país perguntava sobre seu paradeiro. O aparelho de Márcia foi apreendido em dezembro do ano passado pelo Ministério Público do Rio do (MP-RJ). Ela está foragida há duas semanas e teve a prisão preventiva decretada.

Márcia e Queiroz - apontado na investigação do Ministério Público como o operador de esquema de "rachadinhas" - chegaram ao aeroporto de Congonhas, zona sul da capital paulista, em 18 de dezembro de 2018, segundo informações obtidas pelo Ministério Público.

Cerca de dois meses depois, no fim de fevereiro de 2019, o celular de Márcia começou a registrar sua presença no Guarujá, no litoral paulista. Nas fotos do imóvel em que se hospedaram, destaca-se a vista para o mar. Por meio dessas imagens e de informações como conexões em redes de wi-fi, o MP conseguiu construir um mapa de deslocamento da investigada.

Ainda segundo a publicação, depois dos quatro meses em que há indícios seus no Guarujá, foram a Atibaia, no interior paulista. Lá, os registros começam a aparecer em 27 de junho, quase um ano antes da prisão de Queiroz no escritório de Wassef na cidade. Mesmo com o mistério em torno do seu paradeiro, Queiroz não deixava de ir ao Rio visitar a família ou a São Paulo para compromissos médicos. Num dos trajetos, o casal parou em Aparecida, no interior de São Paulo.