Pular para o conteúdo
Início » Jerônimo nega “pegadinha” em novo pedido de empréstimo de R$ 400 mi na AL-BA

Jerônimo nega “pegadinha” em novo pedido de empréstimo de R$ 400 mi na AL-BA

Governador pede à bancada da Oposição para "baixar a guarda" e dialogar para ajudar "Bahia a se desenvolver"

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) negou, na manhã desta quarta-feira (20), que tenha qualquer tipo de “pegadinha” no novo pedido de empréstimo à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). O projeto de Lei 25.201/2023, que pede autorização para contratação de empréstimo da ordem de R$400 milhões, passou a tramitar em regime de urgência, na tarde desta última terça-feira (19), para viabilizar investimentos previstos no Plano Plurianual e nos orçamentos anuais do Estado na área de segurança pública. 

“Não vou tratar nesse grau de consideração. Todos que fazem política sabem que os municípios, não tendo condições de investir, pedem empréstimos, autorização às Câmaras de Vereadores. Os Estados também fazem isso, isso não acontece só na Bahia. Nós estamos num ritmo de investimento. A gente celebra quando a gente faz uma licitação de R$ 3 bilhões para novas escolas, fazemos celebração quando entregamos equipamento de segurança pública. A Bahia não é um Estado rico o suficiente para ter todos os investimentos”, declarou o governador ao Portal M!, durante assinatura de convênio de cooperação técnica entre Uber e Secretaria de Segurança Pública (SSP), em evento no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador

Ainda em entrevista ao Portal M!, o petista pediu à bancada da Oposição para “baixar a guarda” e dialogar para ajudar “Bahia a se desenvolver”. Ele também agradeceu a aprovação, na sessão desta última terça-feira (19), o requerimento de pedido de urgência apresentado pelo líder do governo, Rosemberg Pinto (PT), para que a matéria tenha maior celeridade em sua tramitação na Casa. A proposição foi aprovada com os votos contrários do deputado estadual Hilton Coelho (Psol) e da bancada da minoria, segundo o líder Alan Sanches (União Brasil), “por falta de transparência”. Já os oposicionistas Júnior Nascimento (UB) e Marcinho Oliveira (UB) contrariaram o encaminhamento da liderança e votaram favoravelmente.

“Eu agradeço a Assembleia Legislativa, inclusive, aqueles que votaram e a quem não votou, quero a compreensão e o entendimento e baixar a guarda pra gente poder dialogar. O que é que eu tenho que prestar contas sobre os empréstimos que vão para a Assembleia, eu presto. Tenho um ano e dois meses, três meses de governo, ainda me resta dois anos e sete meses, oito meses. Eu quero trabalhar fielmente naquilo que me comprometi no programa de governo e quero com isso dialogar com a oposição ou quem não interpretar os dados de forma que a gente ajude o Brasil, ajude a Bahia a se desenvolver”, destacou.

 

Leia também:

PEC: Governador elogia Adolfo, mas defende renovação no comando da AL-BA

Jerônimo diz que implementação das ‘bodycams’ está próxima: “A primeira que for autorizada estará nas fardas dos policiais

Estado entrega nova tecnologia que atua em conjunto com a SSP e Uber

Marcações: