Pular para o conteúdo
Início » Bruno Reis diz que relação com PDT continua inabalável em Salvador e confirma encontro com Lupi

Bruno Reis diz que relação com PDT continua inabalável em Salvador e confirma encontro com Lupi

Segundo prefeito, filiação da vereadora Débora Régis ao União Brasil para disputar prefeitura de Lauro de Freitas foi "escolha pessoal"

O prefeito Bruno Reis (União Brasil) minimizou, na manhã desta terça-feira (23), as possíveis rusgas entre o PDT e seu partido após a filiação da vereadora Débora Régis ao União Brasil para disputar prefeitura de Lauro de Freitas. Segundo ele, foi uma “escolha pessoal” da parlamentar, mas sua relação com a legenda e o presidente do PDT na Bahia, deputado federal Félix Mendonça Jr, em Salvador não vai mudar.

“O presidente estadual Félix é um grande amigo. Eu estou focado em Salvador. Nada tem a ver a mudança deste ou aquele líder político para o partido. Tiveram lugares, por exemplo, como Irecê que o presidente da Câmara, [vereador] Figueiredo, veio para o PDT. Por uma decisão da vereadora Débora, escolha pessoal dela, ouvindo o grupo local, as lideranças locais para buscar unidade e tomar essa decisão. A gente entende que, nesse momento de decisões, às vezes, há um outro descontentamento aqui ou acolá, mas o que eu posso garantir é que o PDT em Salvador tem uma relação especialíssima com a gente, por estar lá Félix, Leo Prates, a nossa vice-prefeita Ana Paula”, disse ao Portal M!.

O prefeito também confirmou que vai se reunir com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. O ministro da Previdência Social terá um encontro com lideranças do partido na próxima sexta-feira (26), pela tarde, para discutir as eleições municipais do partido na Bahia e também a posição do partido na chapa do prefeito, ou seja, pela continuidade ou não da atual vice-prefeita Ana Paula Matos. Pela manhã, Lupi deve cumprir agenda ministerial, mas ainda não está confirmada se encontrará com o governador Jerônimo Rodrigues (PT).

“Desde sempre é uma alegria, é uma honra receber o nosso presidente nacional do PDT, um grande amigo Carlos Lupi e é natural que ele apresente as expectativas do PDT, em especial da manutenção da posição de vice. Não tenho dúvidas que, com todo o respeito e admiração que eu tenho, irei recepcionar essa demanda do PDT”, ressaltou ao Portal M!.

“Eu ainda vou decidir em relação à minha candidatura, definido a minha candidatura, nós vamos dar início às conversas em relação a quem será o vice ou a vice, e vencido essas conversas, a gente vai anunciar a decisão que o grupo em conjunto irá tomar. Não tenha dúvidas que será construído com consenso, mantendo a unidade, temos aí hoje o apoio de mais de dez partidos. Caso eu venha a ser candidato, acho que ainda terão outros que estão chegando e, ouvindo todos, nós vamos escolher os melhores nomes para vencer as eleições e especialmente para depois governar a cidade”, completou.

Sobre a decisão se sairá ou não pré-candidato à reeleição ainda neste primeiro semestre, o prefeito voltou a declarar que não estabelece “datas em relação à política”. “A política tem os seus próprios prazos. Até o dia 6 era hora de filiar, de todos estarem devidamente posicionados para disputar o pleito municipal. De 20 de julho a 5 de agosto são as convenções e até aí terá decidido. Agora, muito provavelmente, as decisões devem ocorrer antes, mas sem data. Sem estabelecer que é terça-feira, sem estabelecer que é em dez dias, sem estabelecer qual é a data específica. A gente vai com sabedoria, a gente passou talvez pelo grande teste, que foi o 6 de abril. Vocês não imaginam o quanto é complexo administrar uma base tão grande, conciliar todos os interesses, deixar todos ao final felizes e satisfeitos, sejam os presidentes dos partidos, sejam os vereadores, sejam os candidatos a vereadores”, destacou.

“Nós conseguimos passar muito bem por esse prazo, assumindo a nossa responsabilidade, assumindo a nossa liderança, fazendo a formação dos partidos. Nós passamos, digamos assim, pelo pior momento, passamos muito bem, ganhando novos aliados, fortalecendo os nossos partidos porque chegaram diversas lideranças, suplente de vereadores, lideranças e segmentos pra compor a nossa base e isso nos fortaleceu ainda mais. Então, passado agora esse momento, é iniciar as conversas, é fazer as pesquisas. Eu estou fazendo pesquisa, estou ouvindo as pessoas pra tomar essa decisão e ela vai ocorrer o quanto antes”, acrescentou Bruno Reis.

PDT na CMS

De acordo com o prefeito, o PDT deve eleger quatro ou até cinco vereadores na Câmara Municipal de Salvador (CMS) em outubro. Após o fim da janela partidária no último dia 6, a bancada do partido na Casa aumentou, passando de dois para três vereadores: Anderson Ninho, Débora Santana (ex-Avante) e Roberta Caires (ex-PP). A única baixa foi o vereador Randerson Leal que se filiou ao Podemos.

“O partido cresceu, saiu com três vereadores dessas organizações partidárias, vai eleger quatro, talvez cinco vereadores, diante da história do partido e da força dos candidatos. Então, me deixa aqui com Salvador que eu já tenho muitas questões pra organizar, pra administrar, e o restante da Bahia, os líderes vão ter a capacidade de se entender”, pontuou Bruno Reis durante a entrega das obras de requalificação do largo do Campo Grande, em frente ao Teatro Castro Alves (TCA).

Confira entrevistas:

Leia também:

Filiação de Débora Régis em Lauro de Freitas implode aliança do PDT com o União Brasil

Bruno diz que se preocupa com sua avaliação e não de Lula e Jerônimo em Salvador

Sosthenes Macedo afirma que Salvador é referência para outras capitais no enfrentamento das chuvas

Marcações: