Pular para o conteúdo
Início » Organização Internacional afirma que Pablo Marçal não é coach e usa termo inapropriadamente

Organização Internacional afirma que Pablo Marçal não é coach e usa termo inapropriadamente

Organização Internacional afirma que Pablo Marçal não é coach e usa termo inapropriadamente
Pablo Marçal rejeita ser rotulado como coach, reforçando que não está mais envolvido nessa atividade

A International Coaching Federation (ICF), organização que representa globalmente os profissionais de coaching, emitiu um comunicado criticando o uso do termo para descrever a ocupação de Pablo Marçal (PRTB), pré-candidato à Prefeitura de São Paulo. Segundo a entidade, o uso inadequado do termo “coach” prejudica severamente a reputação da categoria e dos profissionais sérios que trabalham nesse campo.

Pablo Marçal se autodenomina “ex-coach”. A ICF argumenta que, uma vez que o próprio pré-candidato afirma não mais exercer a profissão de coach, referir-se a ele dessa maneira é incorreto e contribui para a má interpretação do termo.

Empresário, Pablo Marçal rejeita ser rotulado como coach, destacando que não está mais envolvido nessa atividade. No entanto, ele ganhou notoriedade e sucesso vendendo cursos de desenvolvimento pessoal online. Recentemente, lançou o curso “Rico com Internet”, que promete ensinar estratégias para enriquecer na internet a partir do zero, sendo comercializado por R$ 4.497.

Em uma pesquisa divulgada nesta terça-feira, 25, pelo Paraná Pesquisas, em um cenário estimulado, o ex-coach alcança 10% das intenções de voto para prefeito da cidade de São Paulo.

Neste mesmo cenário, o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB) lidera com 28,5%, seguido pelo deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) com 25,9%. Considerando a margem de erro de 2,6 pontos percentuais para mais ou para menos, Nunes e Boulos estão tecnicamente empatados.

Leia também:

Lindsay Lohan e Jamie Lee Curtis voltam ao set para gravar continuação de ‘Sexta-feira Muito Louca’
Neymar compra camisas da Seleção Brasileira de ambulantes nos Estados Unidos

Reprodução/@pablomarcal1