Pular para o conteúdo
Início » Sosthenes Macedo afirma que Salvador é referência para outras capitais no enfrentamento das chuvas

Sosthenes Macedo afirma que Salvador é referência para outras capitais no enfrentamento das chuvas

Diretor-geral da Codesal falou sobre os trabalhos de força-tarefa que seguem dando resultados em Salvador e outras capitais do país

Desde o início de abril, a capital baiana vem registrando chuvas intensas ultrapassando a média histórica da cidade. Conforme a Defesa Civil de Salvador (Codesal), já foi contabilizado acumulado de 600 milímetros de chuva, quase três vezes mais do que o volume previsto para todo o período do mês.

Durante a entrega da requalificação do Largo do Campo Grande, o diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macedo, falou, na manhã desta terça-feira (23), sobre o trabalho de força-tarefa do órgão municipal no enfrentamento das chuvas e os impactos na capital.

“É fruto de um trabalho muito sério, muito dedicado que foi iniciado lá atrás em 2016, na época do então prefeito ACM Neto, quando reestruturou a Defesa Civil de Salvador e todo o sistema municipal de Proteção Defesa Civil. Nós não temos mais episódios de tragédia na cidade, não estamos imunes também, porém, observamos o que aconteceu em Dubai na semana passada, foram 120 milímetros em apenas 24 horas. Nós tivemos em Salvador, no mesmo período, 175 milímetros em 24 horas. A diferença é que Dubai é uma cidade rica, planejada, Salvador é uma cidade com topografia extremamente complexa, desafiadora e pobre. No entanto,  a cidade passou por mais de 500 intervenções, sendo 200 feitas pela Prefeitura no âmbito da Seinfra e Sucop e 300 geomantas”, declarou Sosthenes em entrevista ao Portal M!.

O titular da Codesal enfatizou sobre a importância do Projeto Defesa Civil nas Escolas (PDCE). A iniciativa busca promover a cultura de prevenção na comunidade escolar, atendendo prioritariamente as escolas que estão localizadas próximas a áreas de risco.

“Nós capacitamos os moradores das áreas de risco por meio dos núcleos comunitários de proteção e defesa civil. Nossas crianças já contam atualmente com nosso Programa de Defesa Civil nas Escolas com mais de 10 mil crianças capacitadas pela Prefeitura por meio da Defesa Civil. Estamos pensando a médio e longo prazo para que esses futuros jovens e adultos já saibam como se comportar, que não é possível fazer construção irregular sem a técnica devida, sem o acompanhamento de um profissional habilitado pelo CREA, como também a impossibilidade de fazer plantio de vegetações adequadas.”

Inovação

Para prevenção aos desastres naturais decorrentes do período chuvoso, a Prefeitura prossegue com a Operação Chuva 2024, que conta com ações em infraestrutura, tecnologia, limpeza e manutenção urbana.
 
Entre as novidades da edição deste ano está a ampliação do parque tecnológico da rede de monitoramento, com a aquisição de 20 estações pluviométricas que quantificam os milímetros de chuvas acumulados em determinadas localidades da cidade no período de 30 minutos, 1h, 3h, 6h, 12h, 24h, 48h, 72h, 96h e no mês.
 
Para Sosthenes Macedo, o trabalho realizado pela Prefeitura de Salvador em conjunto com outros órgãos municipais, seguem dando resultados para a cidade e outras capitais do país. 
 
“Eu estive em Brasília na semana passada, e, ouvi do secretário estadual de São Paulo que ele teve a oportunidade de tirar de Salvador o exemplo do sistema de Alerta e Alarme para aplicar nas cidades paulistas. A gente fez muito e o resultado está aparecendo. O prefeito Bruno Reis e a vice-prefeita Ana Paula Matos tem intensificado essas ações, nós adquirimos mais 40 estações pluviométricas, dez estações meteorológicas, é o maior parque que nós já pensamos em ter na história de toda Salvador”, concluiu.

 

Leia também:

Chuvas devem persistir em Salvador até o fim de abril, aponta Codesal

Marcações: