Pular para o conteúdo
Início » Fazenda Grande IV ganha dois novos equipamentos para acolhimento de jovens em vulnerabilidade

Fazenda Grande IV ganha dois novos equipamentos para acolhimento de jovens em vulnerabilidade

Administrados pela Fundação Cidade Mãe, a Casa Lar e o Centro de Convivência Socioassistencial (CCS) Recanto do Sol foram inaugurados nesta quarta-feira (3)

As entregas da Casa Lar e do Centro de Convivência Socioassistencial (CCS) Recanto do Sol, localizados no Caminho Santa Rita, ocorreram nesta quarta-feira (3), na presença do prefeito Bruno Reis (União Brasil) e outras autoridades do município. As unidades serão administradas pela Fundação Cidade Mãe (FCM).

O Recanto do Sol é o quarto CCS inaugurado pela prefeitura desde 2021, o que amplia a rede de proteção básica da capital baiana para nove unidades. Até o final deste ano, a previsão é que mais um espaço de acolhimento seja entregue.

“Vocês sabem da nossa luta diária contra o crime, as drogas e a marginalidade. Combatemos isso ocupando as crianças, desenvolvendo as suas habilidades individuais e proporcionando a elas uma melhor perspectiva”, disse o prefeito, durante o evento, destacando a importância das atividades oferecidas nos centros para o desenvolvimento dos jovens de Salvador.

“Ao utilizar bem o tempo, elas podem aprender o que a vida exige e, assim, por meio do trabalho e da educação, realizar os seus sonhos. Este equipamento tem a capacidade de transformar o presente e o futuro das nossas crianças e adolescentes. Estamos muito felizes de estar inaugurando mais um CCS em nossa cidade”, completou Bruno Reis.

O CCS, que manteve o nome Recanto do Sol, como era batizada a escola municipal que funcionava no mesmo prédio, atenderá a toda a comunidade da Fazenda Grande IV. Neste espaço, serão promovidas diversas atividades no contraturno escolar para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

“Vamos proporcionar oficinas nas áreas de arte e cultura, com diversas modalidades, além de atendimento psicossocial e acompanhamento pedagógico, com foco em português e matemática. Em outras palavras, estamos oferecendo às nossas crianças e jovens a oportunidade de construírem uma nova história. Este é um grande avanço para a nossa comunidade”, afirmou a presidente da Fundação Cidade Mãe, Isabela Argolo.

Já a Casa Lar, que fica na mesma rua e de frente para o CCS, vai acolher até dez crianças e adolescentes que estão em vulnerabilidade social e que são encaminhadas pelo Ministério Público, pela Vara de Infância e Juventude do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) ou pelo Conselho Tutelar. A ideia é que o espaço funcione como uma casa, de fato: os jovens vão morar ali até que tenham a situação regularizada.

“Uma equipe composta por mãe social, profissionais de serviços gerais e uma equipe técnica completa e especializada para cuidar de crianças em situação de vulnerabilidade social”, explicou Avonir Rodrigues, supervisor das unidades de acolhimento da FCM.

“Elas permanecem aqui pelo tempo necessário, até completarem 18 anos, participando de atividades educativas e de desenvolvimento. As crianças e adolescentes são encaminhados para a escola diariamente e participam de atividades, tanto internas como externas, ao lado de professores capacitados que vêm aqui realizar este trabalho”, completou.

Leia também:

Prefeitura entrega requalificação da Avenida Engenheiro Raymundo Carlos Nery, em Cajazeiras

Valter Pontes / Secom PMS