Pular para o conteúdo
Início » Associação Bahiana de Imprensa restringe horário de funcionamento a partir desta sexta

Associação Bahiana de Imprensa restringe horário de funcionamento a partir desta sexta

Medida integra o esforço da entidade para manter as contas equilibradas, que envolve também a suspensão de atividades culturais

A rotina da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) sofrerá alterações a partir desta sexta-feira (19). Os serviços prestados à categoria e à sociedade serão oferecidos apenas às segundas, quartas e quintas-feiras, das 8h às 17h. Às terças e sextas-feiras, os funcionários cumprirão expediente remoto.

As medidas integram o esforço da entidade para manter as contas equilibradas, que envolve também a suspensão de atividades culturais, como o fechamento do Museu de Imprensa por tempo indeterminado. 

O prédio batizado com o nome de quem o construiu é frequentemente procurado por pesquisadores das mais diversas áreas. O imóvel abriga a Biblioteca Jorge Calmon, a Sala de Exibição Roberto Pires, o Auditório Samuel Celestino e o Museu de Imprensa, espaços que regularmente recebem palestras, aulas, rodas de conversas, visitas guiadas, eventos musicais e outras atividades educativo-culturais gratuitas e abertas ao público.

A ABI mantém ainda o museu-casa onde nasceu o jurista Ruy Barbosa, na rua homônima, e onde a associação pretende instalar a Casa da Palavra.

O edifício construído entre as décadas de 1940 e 1950 foi projetado para garantir a sustentabilidade da ABI mediante locação dos espaços não ocupados pela entidade. A Assembleia Legislativa foi a primeira inquilina, instalando-se ali de novembro de 1960 até a mudança para a sede no Centro Administrativo da Bahia, que completou 50 anos em março.

A Prefeitura Municipal de Salvador, atual locatária, ocupa mais de 2/3 do Ranulfo Oliveira, e impôs o congelamento do valor dos aluguéis desde outubro de 2016. A prefeitura não reconhece o passivo acumulado por anos sem cumprir a cláusula que estabelece reajuste anual com base na variação do IPCA-E.

Nos últimos anos, a pedido do Gabinete do Prefeito, a ABI comprometeu grande parte de suas reservas financeiras numa série de melhorias e, por decisão da Diretoria Executiva, investiu em adequações aos atuais padrões de segurança na edificação.

Além disso, foram executadas obras de atualização das instalações elétrica e hidráulica, com instalação de uma subestação de energia, o Sistema de Prevenção e Combate a Incêndios (PCI) e do Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA).

“Mesmo com as restrições financeiras, a ABI é dos raríssimos proprietários que atendem cerca de 100% das regras de segurança contra incêndios, situações de pânico e descargas atmosféricas”, afirma o jornalista Ernesto Marques, presidente da ABI.

“Seguimos na mesma postura, colaborando, cedendo e em reiterada disposição para atualizar os contratos em bases que contemplem ambas as partes, sobretudo considerando a natureza pública do locatário, no caso, o Gabinete do Prefeito e a Secretaria Municipal de Comunicação”, enfatiza o presidente.

Enquanto viabiliza estratégias para se manter em funcionamento, a ABI aguarda um posicionamento do prefeito Bruno Reis.

“A ABI compreende o ritmo da tomada de decisões, reconhece o empenho pessoal de todos os servidores e secretários que trataram a questão. Todos foram absolutamente acolhedores, se mostraram dispostos a encaminhar a pauta, no limite de suas atribuições. E por isso agradecemos o apoio. Contamos com a sensibilidade do prefeito para avançar nas negociações”, completa o dirigente.

 

Leia também:

Roda de choro na ABI expõe falta de apoio a iniciativas culturais

“Ruy Barbosa está muito presente na vida brasileira hoje”, aponta presidente da ABI na pré-estreia de ‘A Voz de Ruy’

Marcações: